Grêmio fica em primeiro no seu grupo da Libertadores apesar da derrota

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 10 de abril de 2003 as 22:33, por: cdb

O Grêmio foi derrotado pelo Bolívar por 1 x 0, na noite desta quinta-feira, em La Paz, mas ainda assim garantiu o primeiro lugar do Grupo 5 da primeira fase da Copa Libertadores da América. Com isso, o time gaúcho terá de enfrentar, nas oitavas-de-final, ao Olímpia, do Paraguai, clube que o eliminou nas semifinais da edição 2002 da competição. O Bolívar, por sua vez, acabou eliminado.

O time gremista, orientado pelo treinador Tite para administrar o jogo nos minutos iniciais, evitando a correria e o desgaste desnecessário na altitude de La Paz, adotou uma postura muito defensiva nos minutos iniciais de jogo. A conseqüência lógica foi que a equipe boliviana jogou-se à frente, pressionando, afinal para ela só a vitória levaria à classificação.

Mas apesar daquele sufoco inicial, as chances de gol não surgiam, e o time gaúcho via o tempo passar sem maiores problemas para sua meta. Gatty Ribeiro, ala pela direita no time do Bolívar, era a melhor figura em campo naquele começo de jogo, o único a conseguir levar algum perigo contra Danrlei.

A primeira chance de gol ocorreu aos 22 minutos. Guiberguis pegou um rebote dentro da grande área, mas o chute saiu fraco, facilitando a defesa do goleiro gremista. Quatro minutos depois Gutiérrez, livre, desperdiçou uma chance clara chutando por cima do travessão. Era o Bolívar cada vez mais se aproximando da abertura do placar.

A única chance do Grêmio no primeiro tempo ocorreu aos 40min, quando Élton fez ótima jogada pela esquerda, chutou, o goleiro proporcionou o rebote e Bruno cabeceou para nova defesa de Fernández.

Três chances perdidas pelo Bolívar nos primeiros cinco minutos do segundo tempo mostraram que o time partia para o tudo ou nada, em busca de uma vaga nas oitavas-de-final da Libertadores. A torcida boliviana, calada nos primeiros 45 minutos, resolveu pegar junto com o time e, com ela pressionando, a situação tornou-se quase insuportável..

Aos 9min Botero chegou a driblar Danrlei e só não comemorou o gol porque quando a bola iria cruza a linha fatal, Renato jogou-se e conseguiu afastar para fora da grande área.

Preocupado com tamanha superioridade do adversário, o técnico Tite tirou o jovem Renato de campo e colocou em seu lugar o experiente Anderson Polga, que antes da partida pedira para ser poupado. Uma troca que pouco adiantou, porque o Bolívar permanecia em cima, acuando o representante brasileiro.

E foi assim que, aos 17, o obviou aconteceu: Gutiérrez cobrou falta, acertou o canto direito de Danrlei e fez 1 x 0, decretando a festa no estádio Hernando Siles.

Tite tentou a reação colocando Rodrigo Fabri no lugar de Bruno, mas a medida pouco adiantou, pois era o Bolívar quem continuava em cima, como se fosse o único time com alguma ambição dentro de campo.

E assim a partida foi se arrastando. O Grêmio sem esboçar reação e o time da Bolívia tentando ampliar a vantagem que lhe daria a classificação, o que não conseguiu, apesar das muitas chances criadas. A segunda vaga ficou com o Pumas, do México, que fez 3 x 1 no Peñarol.

BOLÍVAR 1 X 0 GRÊMIO

Bolívar
Fernández; Sánchez, Lígori (Mercado) e Marco Antonio Sandy; Gatty Ribeiro, Tufiño, Guiberguis, Gutiérrez e Percy Colque; Galindo e Botero
Técnico: Vladimir Soria

Grêmio
Danrlei; Gavião, Renato (Polga), Claudiomiro e Roberto; Amaral, Emerson, Bruno (Rodrigo Fabri) e Gilberto (Douglas); Élton e Basílio
Técnico: Tite

Data: 10/4/2003 (quinta-feira)
Local: Estádio Hernando Siles (La Paz)
Árbitro: Ubaldo Aquino (Paraguai)
Auxiliares: Epifanio González e Nestor González (Paraguai)
Cartões amarelos: Galindo (Bolívar); Bruno, Roberto e Danrlei (Grêmio)
Cartão vermelho: Douglas
Gol: Gutiérrez (aos 17min do segundo tempo)