Grécia liberta homem que atrapalhou Vanderlei e Nuzman protesta

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 30 de agosto de 2004 as 11:49, por: cdb

 Um tribunal da Grécia condenou a um ano de prisão em regime condicional o pastor protestante irlandés Cornelius Neil Horan, que agrediu o brasileiro Vanderlei Cordeiro de Lima durante a maratona dos Jogos Olímpicos de Atenas. Após pagar 3 mil euros, Horan foi solto e somente será detido se cometer outro delito na Grécia nos próximos três anos.

O irlandês de 57 anos poderia ter sido condenado a uma pena máxima de cinco anos de prisão, segundo o jornal espanhol “Marca”.

Não foi a primeira vez que Cornelius Horan atrapalhou o andamento de uma competição esportiva. No ano passado, o fanático invadiu a pista do circuito de Silverstone durante a realização do GP da Inglaterra.

No mesmo dia em que Horan foi liberado, o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, Carlos Arthur Nuzman, afirmou que vai enviar um carta à IAAF (Federação Internacional de Atletismo) solicitando que entidade conceda a Vanderlei Cordeiro de Lima a medalha de ouro.

– Não queremos tirar o ouro do italiano. Mas o Vanderlei não pode ser penalizado – disse Nuzman, que criticou a organização dos Jogos.

– Não é admissível que o líder da prova não estivesse protegido por dois batedores. Não podemos garantir que o Vanderlei iria ganhar a prova, mas ele foi visivelmente prejudicado na disputa.

A IAAF negou no domingo um protesto feito pelo COB e pela Confederação Brasileira de Atletismo.

– Inicialmente, vamos mandar uma carta à IAAF dando a entidade a oportunidade de reconhecer o erro ao negar o protesto em favor do atleta. Esperamos que, de cabeça mais fria, eles revejam a decisão – disse Nuzman.

Caso a entidade não aceite os argumentos, o COB pretende recorrer ao Tribunal Arbitral do Esporte, sediado em Lausanne (Suíça).