Grécia anuncia pacote para poupar 4,8 bilhões de euros

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 4 de março de 2010 as 10:41, por: cdb

O governo grego aprovou nesta quarta-feira um novo pacote de aumento de impostos e corte de gastos que deve levar a uma economia de 4,8 bilhões de euros, aliviando a crise orçamentária em que o país está afundado.

As medidas incluem aumentos nos impostos sobre vendas, cigarros e bebidas alcoólicas, cortes no abono de férias a funcionários públicos e congelamento de pensões.

A União Europeia tinha pedido providências austeras do governo da Grécia para evitar que a crise no país arrastasse o bloco junto. No entanto, o pacote foi duramente criticado por sindicatos gregos, que classificaram as medidas de “injustas” e ameaçaram organizam greves em protesto.

Já o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, afirmou que o plano prova que o governo grego está comprometido com a tomada de “todas as medidas necessárias” para reduzir o déficit do país.

O primeiro-ministro grego, George Papandreou, comparou a crise atual com “tempos de guerra”.

– Essas decisões são necessárias para a sobrevivência do país e da economia, mas a Grécia pode sair do turbilhão de especuladores e difamação, de forma a podermos respirar e continuar a lutar –, disse Papandreou.

O governo socialista grego prometeu reduzir o déficit de 12,7% do PIB – quatro vezes acima do limite imposto para a zona do euro – para 8,7% em 2010. Além disso, o país promete reduzir a sua dívida de 300 bilhões de euros.

O euro chegou a subir em relação ao dólar, depois do anúncio das novas medidas de austeridade do governo grego.

O líder do partido Comunista grego descreveu o plano como “vergonhoso” e convocou os trabalhadores a um levante contra a União Europeia e os mercados internacionais.

Na quarta-feira, Panayiotis Vavouyios, líder da associação dos servidores públicos aposentados, disse que a situação é “difícil”. “Estes cortes vão nos levar ao limite”, afirmou.