Grécia: ameaça de bomba desocupa sede de futebol

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 25 de novembro de 2015 as 14:32, por: cdb

Por Redação, com Reuters – de Atenas:

Após uma ligação anônima informando que havia uma bomba no local, a sede da federação de futebol da Grécia, localizada nos arredores de Atenas, foi desocupada nesta quarta-feira.

Especialistas em desativação de bombas foram chamados para examinar os escritórios da Federação Helênica de Futebol após o jornal Efimerida ton Syntakton receber uma ligação dizendo que uma bomba iria explodir às 13h (9h no horário de Brasília).

A mídia local relatou que a polícia esperou até as 15h antes de enviar uma equipe, mas nenhuma bomba foi encontrada.

A mídia local relatou que a polícia esperou até as 15h antes de enviar uma equipe, mas nenhuma bomba foi encontrada
A mídia local relatou que a polícia esperou até as 15h antes de enviar uma equipe, mas nenhuma bomba foi encontrada

Na terça-feira, uma bomba explodiu do lado de fora dos escritórios da federação comercial da Grécia, em Atenas, sem deixar feridos, mas danificando a embaixada do Chipre, próxima ao local.

A tensão está alta entre torcedores de futebol em Atenas deste a partida de sábado entre o Olympiakos Piraeus e Panathinaikos, cancelada pelo árbitro antes do início por conta da violência dentro e nos arredores do estádio.

Alemanha

No dia 17 deste mês, a polícia alemã cancelou um amistoso entre Alemanha e Holanda, em Hannover, devido a uma ameaça de ataque a bomba. A suspensão foi determinada menos de duas horas antes do início da partida.

– Recebemos indício concreto de que era planejado um ataque a bomba no estádio – informou o chefe de polícia de Hannover, Volker Kluwe, em entrevista à TV alemã. O aviso fora recebido, segundo ele, 15 minutos depois da abertura dos portões do estádio.

A partida seria disputada quatro dias depois dos ataques terroristas em Paris, em meio a um forte esquema de segurança e teria a presença da chanceler federal alemã, Angela Merkel, e vários ministros alemães, entre eles o ministro do Interior, Thomas de Maizière, e o vice-chanceler, Sigmar Gabriel.

Havia relativamente poucas pessoas no lugar, quando foi comunicado o cancelamento da partida. Através de alto-falantes, os presentes foram instruídos a deixar o estádio.

A seleção alemã não estava no lugar quando foi comunicado o cancelamento do amistoso. A Federação Alemã de Futebol (DFB) não informou o destino dos jogadores, que já haviam saído de ônibus do hotel em que estavam concentrados, nos arredores de Hannover. O veículo foi desviado da rota, por motivos de segurança.

A DFB havia cogitado o cancelamento da partida após os atentados de Paris, um deles ocorrido quando a seleção alemã jogava contra a francesa na sexta-feira passada, no Stade de France. Entretanto, no domingo foi decidido pela realização do amistoso contra a Holanda, como sinal de solidariedade à França e aos parentes das vítimas dos ataques terroristas.