Graziano propõe conselhos municipais para o Fome Zero

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 12 de fevereiro de 2003 as 15:35, por: cdb

O ministro extraordinário de Segurança Alimentar e Combate à Fome, José Graziano, afirmou nesta quarta-feira que vai propor que cada município do País tome a iniciativa de criar um conselho de segurança alimentar e atividade nutricional, de maneira a engajar todas as cidades no programa Fome Zero. Acompanhado do diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), Jacques Diouf, e outros membros da entidade, Graziano se reuniu na manhã de hoje com a prefeita Marta Suplicy.

Segundo o ministro, a proposta de que cada município crie um conselho de segurança alimentar foi apresentada por Marta ao governo federal há um mês. “É um caráter inovador e pioneiro, exatamente o formato que foi apresentado há um mês pela Marta”, disse ele.

A participação das prefeituras no projeto prioritário do governo Lula e a utilização de eventuais programas já postos em prática, foi sugerida pela prefeita em reunião da executiva do PT em Brasília, no mês passado. Na ocasião, Marta criticou o fato de Graziano não estar levando em conta projetos do setor que vinham dando certo em cidades como a de São Paulo.

Durante o encontro com a prefeita, o ministro disse que também foi discutida outras propostas de cooperação com o governo municipal. Ele citou, como exemplo, programas de criação de hortas em escolas e de projetos de educação alimentar, como os de cozinha comunitária.

Graziano anunciou também que na próxima semana o governo federal inicia a veiculação das peças publicitárias do mutirão contra a fome. “Vamos transmitir a mensagem de que sociedade civil deve preferencialmente doar alimentos no seu município”, disse. Segundo ele, o pedido para que as doações fiquem no município onde os doadores residem será reforçado durante a campanha, porque “há fome em todos os lugares.”

No caso de São Paulo, a prefeita informou que as doações devem ser encaminhadas ao banco de alimentos do município. Mais detalhes sobre o procedimento, segundo Marta, serão divulgados nos próximos dias.

O diretor-geral da FAO, Jacques Diouf, confirmou que na próxima sexta-feira a entidade assina convênio com o Brasil de US$ 1 milhão. O convênio prevê que a FAO estruture o Ministério Extraordinário de Segurança Alimentar, faça um levantamento das condições locais e realize a interlocução com entidades que possam financiar projetos de interesse social.

Diouf elogiou a prioridade do governo Lula de combater a fome no País. “O líder mundial (do combate à fome) deve ser o Brasil, devido às prioridades do governo Lula”, comentou ele. Ainda hoje Graziano se reúne em São Paulo com o governador Geraldo Alckmin.