Grande Rio entra em estado de alerta para chuvas fortes

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 3 de janeiro de 2013 as 10:18, por: cdb
Uma pessoa morreu em decorrência das chuvas que atingiram Xerém, distrito de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense
Uma pessoa morreu em decorrência das chuvas que atingiram Xerém, distrito de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense

Uma pessoa morreu em decorrência das chuvas que atingiram Xerém,  distrito de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense,  no fim da noite de quarta e madrugada desta quinta-feira. A vítima, um idoso ainda não identificado completamente pelas autoridade, teria sido surpreendido pela chuva quando dormia na Praça da Mantiqueira, de onde foi arrastado pela força das águas.

O transbordamento do Rio Capivari deixou pelo menos cem pessoas desabrigadas e o prefeito de Caxias, Alexandre Cardoso, já está fazendo uma vistoria das áreas afetadas para avaliar os estragos e os ordenou que desalojados fossem encaminhados para abrigos no município.

Moradores da região chegaram a informar que uma represa da Cedae foi rompida pela força de uma tromba d’água que desceu pelo Rio Capivari, mas o o secretario municipal de Defesa Civil de Duque de Caxias, Coronel Silva Costa, afirmou que a empresa negou o rompimento.

– Chegamos à conclusão de que esta tragédia foi provocada por uma cabeça d’água, desencadeando uma enxurrada brusca que trouxe uma grande avalanche de terra, árvores e pedras até as casas que estavam no beira-rio – disse o secretário de Defesa Civil do município, Marcelo Silva.

Em Teresópolis,  região serrana as sirenes foram acionadas em cinco comunidades com a subida do Rio Paquequer. Cinquenta pessoas ficaram desalojadas nas localidades do Vale da Revolta, de Perpétuo, Rosário, Caxangá e Pimentel. Em Petrópolis, os rios Bingen e Piabanha transbordaram. Houve escorregamento de terra e pedras nos bairros Independência, Siméria e São Sebastião.

Em Angra dos Reis, no Sul do Estado, oito casas desabaram e há 32 pessoas desalojadas. Na mesma região, em Mangaratiba, houve rolamento de pedras e um muro desabou, causando destruição em uma casa, na localidade de Conceição de Jacareí. Em Mambucaba, há 100 desalojados.

 Chuva deixa pelo menos 40 desabrigados em Petrópolis

Pelo menos 40 pessoas estão desabrigadas em Petrópolis, na região serrana do Estado, por causa da chuva forte que começou na madrugada desta quinta-feira. A Defesa Civil do município informou que os rios Piabanha e Quitandinha transbordaram em diversos pontos, espalhando lixo e alagando ruas, casas e estabelecimentos comerciais. Muitas lojas atrasaram o horário de abertura porque estavam alagadas.

Em Nova Friburgo também chove, mas por enquanto não há registro de alagamentos, deslizamentos ou pessoas desalojadas. De acordo com a previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a chuva em todo o Estado vai continuar forte nos próximos dois dias.

Sérgio Cabral cria gabinete de crise para acompanhar chuvas

O governador Sérgio Cabral determinou nesta quinta-feira a formação de um gabinete de crise no Centro Estadual de Gestão de Desastres (Cestad), em virtude das fortes chuvas que caíram na madrugada em cidades da Baixada Fluminense.

Conforme informações obtidas pelo portal G1, O gabinete de crise funciona na sede do Departamento Geral de Defesa Civil, na Praça da Bandeira. No local, o secretário de Defesa Civil, Sérgio Simões, vai acompanhar as consequências das chuvas no estado e traçar um plano de trabalho em conjunto com as secretarias de Estado de Saúde, Obras, Assistência Social, Educação, Meio Ambiente e com o Departamento de Recursos Minerais (DRM), informou o governo do Estado.

Segundo a Defesa Civil de Duque de Caxias, cerca de 200 pessoas ficaram desalojadas em Xerém. Todas foram levadas para abrigos localizados no município. Um deles fica na Praça da Mantiqueira. O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) emitiu alerta máximo para alguns rios da Baixada Fluminense por causa do alto nível das águas. Isso foi feito nos rios Sarapuí, Botas, Capivari, Iguaçu e Saracuruna.

De acordo com os bombeiros, oito casas desabaram. Três pontes também foram destruídas pela enchente. O secretário de Defesa Civil disse que ainda não é possível confirmar o transbordamento de uma barragem na região. “Não há indício deste fato. O rompimento da barragem não está confirmado”, afirmou Marcelo Silva Costa. Segundo ele, a chuva foi bastante significativa para provocar a enchente na área.