Grã-Bretanha convoca reservistas para lutar no Iraque

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 7 de janeiro de 2003 as 16:46, por: cdb

A Grã-Bretanha confirmou, nesta terça-feira, que está convocando milhares de reservistas para combater em uma possível guerra contra o regime do presidente iraquiano, Saddam Hussein.

O secretário de Defesa, Geoff Hoon, informou que os reservistas – 1.500 em uma primeira leva – terão a função de assistir os três ramos das Forças Armadas.

Hoon também anunciou que uma frota da Real Marinha britânica, incluindo o porta-aviões HSM Ark Royal e os contratorpedeiros Liverpool, Edinburgh e York, está sendo despachada para o Golfo Pérsico.

“Eu hoje determinei a convocação dos reservistas para possíveis operações contra o Iraque”, disse Hoon ao Parlamento britânico.

“Eu também autorizei a mobilização de unidades navais até o final deste mês… que compreenderá uma capacidade anfíbia expressiva”, acrescentou.

O secretário explicou à Casa dos Comuns que a mobilização de tropas, aviões e navios faz parte de um planejamento de contingência e não significa, necessariamente, que a guerra contra o Iraque seja inevitável.

“Enquanto a obediência de Saddam (à resolução das Nações Unidas sobre desarmamento) estiver em dúvida, a ameaça da força terá que permanecer e terá que ser real”, acrescentou.

Acredita-se que sete mil reservistas serão chamados ao todo. O número de reservistas convocados primeiramente – 1.500 – ficou abaixo do esperado, mas ressalta a cautela com que a força-tarefa para o Golfo está sendo formada.

Hoon teve o cuidado de dizer que 27 de janeiro – o dia em que os inspetores de armas em missão no Iraque relatarão suas conclusões ao Conselho de Segurança da ONU – não é uma data inevitável para qualquer ação.