Governo terá auxílio da Cepal na produção de estudos sobre Brasil sem Miséria

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 20 de junho de 2011 as 16:05, por: cdb

Da Agência Brasil

Brasília – A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) vai auxiliar o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e os institutos de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na análise dos indicadores sobre a extrema pobreza elaborados pelo governo. Criada em 1948 pelo Conselho Econômico e Social das Nações Unidas, a Cepal busca incentivar a cooperação econômica entre os 48 países-membros.

A contribuição da Cepal se dará no exame das diferenças entre a medida da extrema pobreza, por meio das pesquisas Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) e de Orçamentos Familiares, do Censo Demográfico e do Cadastro Único para Programas Sociais, como período de coleta, fluxo de perguntas relacionadas a rendimento no questionário, levantamento estatístico, tamanho e abrangência da amostra.

Na última sexta-feira (17), os quatro órgãos assinaram em Brasília, acordo de parceria para viabilizar análises e seminários que serão produzidos para monitorar o plano de superação da extrema pobreza.

De acordo com o governo, nos últimos anos, 28 milhões de brasileiros saíram da pobreza absoluta e 36 milhões entraram na classe média. O Plano Brasil sem Miséria, coordenado pelo MDS, tem como objetivo retirar da extrema pobreza 16,2 milhões de brasileiros que ainda vivem com renda familiar de até R$ 70 por pessoa. Para isto vai atuar em três eixos: transferência de renda, acesso a serviços públicos e inclusão produtiva.
 

 

Edição: Rivadavia Severo

 

Edição: Rivadavia Severo