Governo quer detalhar a vida dos moradores de rua no país

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 10 de março de 2012 as 14:58, por: cdb

Renata Giraldi e Carolina Pimentel
Repórteres da Agência Brasil

Brasília – A pedido da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH) e do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate a Fome (MDS), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) fará um levantamento detalhado sobre as populações de rua em todo país. Os dados existentes serão esmiuçados e ampliados, segundo a secretária nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos (vinculada à Secretaria de Direitos Humanos), Salete Valesan Camba.

Salete Camba disse que o número Disque 100 da secretaria se destina principalmente às denúncias relativas aos moradores de rua ou a pessoas que estão na rua, como ela se refere. “Há pessoas que estão na rua, mas têm casa e referências de família, portanto não podem ser chamadas de moradores de rua, disse.

Os casos de violência contra moradores de rua registrados nos últimos dias, segundo a secretária, chamam a atenção porque escondem o sentimento de impunidade. “Nós vivemos um tempo de descrença e de impunidade. Isso gera a violência”, disse. “Há uma descrença de quem comete violência, por isso é necessário combater [esse sentimento] também.”

Para Salete Camba, é fundamental ainda tentar desfazer os preconceitos e os sentimentos de discriminação. “Muitos associam o morador de rua com o dependente químico e o usuário de substâncias ilegais. Isso não é real. É preciso trabalhar para combater o preconceito”, disse.

Apenas hoje (9) três moradores de rua foram agredidos. Em Brasília, dois homens que dormiam de baixo de uma árvores foram mortos a tiros. Em Campo Grande, em Mato Grosso do Sul, um homem, de 22 anos, foi amarrado e teve 40% do corpo queimado.

Edição: Fernando Fraga