Governo perdeu o controle sobre Hamas e Fatah

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 24 de maio de 2007 as 10:27, por: cdb

Muitos anúncios de cessar-fogo entre facções rivais palestinas já aconteceram, mas os conflitos armados apenas se intensificaram neste período.

Os palestinos já estiveram próximos de uma guerra civil antes, e sem intervenção externa é difícil ver como eles podem sair da beira do precipício.

Mesmo se eles pararem de lutar novamente, é pouco provável que a paz dure por muito tempo.

Há profunda desconfiança e ódio intenso entre os dois grupos.

Situação surreal

Ainda assim, a situação atual é surreal até mesmo para os padrões de Gaza.

Os dois principais parceiros no suposto governo de coalizão estão guerreando nas ruas, e palestinos comuns estão presos no meio do conflito.

O rápido fracasso de sucessivos anúncios de cessar-fogo sugere que os homens armados não estão mais prestando atenção às ordens dos seus líderes políticos.

A disputa armada parece, portanto, ter adquirido vida própria.

Como no passado, o controle das forças de segurança, que são leais ao Fatah, parece ser o estopim desta nova onda de violência.

Decisões recentes do presidente palestino, Mahmoud Abbas, de apontar seus aliados para posições estratégicas nos assuntos de segurança revoltaram o Hamas.

O grupo islâmico suspeita – e não sem motivos – que o Fatah continua se opondo à idéia de uma polícia independente e de forças de segurança sem afiliação política.

Apesar de alguns palestinos tentarem relacionar a recente onda de violência à suspensão de ajuda financeira externa, outros culpam os líderes palestinos, descrevendo a guerra interna como uma tragédia auto-imposta de incomum estupidez.