Governo deve pedir créditos suplementares em 2002

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 28 de dezembro de 2001 as 20:41, por: cdb

O líder do governo na Câmara, Arnaldo Madeira (PSDB-SP), disse que o governo deverá solicitar créditos suplementares ao Orçamento de 2002 logo no início dos trabalhos legislativos do ano que vem. Segundo Madeira, o Congresso deixou de aprovar 27 projetos de créditos suplementares importantes neste final de ano, que somam R$ 4,8 bilhões – metade desse valor refere-se a investimentos da Petrobrás.

Ele observou que boa parte desses recursos são investimentos ou custeio de ações continuadas que não podem deixar de ser realizados e, portanto, deverão ser incluídos na execução orçamentária de 2002, cuja proposta foi aprovada na madrugada de hoje. Madeira disse que o governo está fazendo uma avaliação dos créditos que ficaram pendentes -que propõe remanejamentos e acréscimos de dotações -, mas avalia que a sobra de recursos a ser incorporada ao superávit primário de 2001 seja da ordem de R$ 1 bilhão.

“Em sete anos que estou no Congresso, é a primeira vez que vejo isso”, declarou o líder do governo, lembrando que a transferência das despesas para 2002 poderá implicar em ajustes adicionais, já que o superávit de R$ 29,6 bilhões previsto na proposta orçamentária encaminhada à sanção presidencial terá que ser cumprido.

Metade dos créditos suplementares pendentes deixou de ser votada ontem por falta de acordo com a oposição e a outra metade por causa da obstrução feita pela bancada do PFL da Bahia, que fez pressão para conseguir a liberação de recursos para a conclusão da obra de ampliação do Aeroporto de Salvador.