Governo de Israel expulsa mais três palestinos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 24 de novembro de 2003 as 10:10, por: cdb

O governo de Israel expulsou da Cisjordânia mais três palestinos suspeitos de serem militantes.

Os homens, que não foram formalmente acusados, foram levados para a Faixa de Gaza depois de terem seus recursos rejeitados pela Suprema Corte.

As expulsões ocorrem no momento em que o primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, declarou que está pensando em tomar ”medidas unilaterais” para avançar o processo de paz com os palestinos.

Entre estas medidas estaria a dissolução de alguns assentamentos e a determinação de fronteiras para um futuro estado palestino.
‘Transferidos’

Uma declaração militar no domingo confirmou que os três palestinos foram ”transferidos” da Cisjordânia para a Faixa de Gaza.

Segundo a agência de notícias Associated Press os três homens são Alaa Hassouna, de Nablus, Ahmad Shakah, de Jenin, e Samer Bader, de Ramallah.

Eles faziam parte do grupo militante Hamas e estão na lista de 18 palestinos que Israel quer expulsar. Seis desta lista já foram transferidos.

A medida foi condenada por palestinos e por grupos de defesa dos direitos humanos.

Plano

Segundo uma declaração do governo israelense, em um discurso na reunião semanal de governo, Ariel Sharon afirmou que não descarta ”medidas unilaterais” para a retomada do plano de paz.

A declaração deixou claro que a opinião de Sharon ”não estava totalmente formada” a respeito das medidas a serem tomadas.

Sharon afirmou que continua comprometido com o plano de paz para o Oriente Médio apresentado pelos Estados Unidos em abril.

Há sugestões de que entre as medidas, Sharon poderia começar a desmantelar alguns assentamentos em locais com pouca proteção ou a determinar as fronteiras de um futuro estado palestino.