Governo dá início a comemoração do Dia Internacional da Mulher

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 6 de março de 2003 as 15:37, por: cdb

O Ministério da Educação iniciou nesta quinta-feira as comemorações do Dia Internacional da Mulher (8 de março) com a abertura da exposição de quatro artistas plásticas radicadas em Brasília. Dezesseis telas de Hannah Torres, Suely Carvalho, Tânia Maria Miranda Carneiro e Jeanne Alves de Souza Mazza ficarão expostas no hall da entrada principal do ministério.

Utilizando as técnicas mista e acrílico sobre tela, Jeanne Mazza retrata em suas telas a natureza, especialmente as flores. A artista, que é piauiense radicada em Brasília, mescla o modernismo abstrato com o impressionismo. Já a maranhense Tânia Cardoso mostra em seus quadros o alvorecer e o crepúsculo, pintados com a técnicas óleo sobre tela e acrílico. Suely Carvalho e Hannah Torres também dão ênfase à natureza em suas obras.

Depois de inaugurar a exposição, ao lado da secretária de Ensino Fundamental, Maria José Vieira Feres, o ministro Cristovam Buarque destacou a importância do papel desempenhado pelas mulheres na vida pública e no processo educacional brasileiro. “A educação passa necessariamente pelas mulheres. Quando a mulher tem instrução, ela passa isso para os filhos muito mais do que os homens passam”, observou o ministro. “Quando vejo uma mulher grávida, digo que ela está carregando um aluno. É só questão de esperar mais quatro, cinco anos”, completou Cristovam.

O ministro afirmou que é preciso dar um “toque feminino” ao País, referindo-se à preocupação que as mulheres têm de resolver os problemas com mais urgência. “Se falta comida numa casa pobre, o homem vai para a rua, procura um emprego, trabalha um mês e aí ganha o dinheiro para comprar comida. Já a mulher tem que conseguir a comida para a noite”, exemplificou Cristovam, acrescentando que “não dá para esperar o Brasil ser rico e desenvolvido para começar a resolver os problemas da educação, da saúde, da alimentação do povo brasileiro”.

Ele também destacou que, como os dois temas – educação e mulheres – são tão relacionados, ofereceu um espaço no MEC para que a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres se instalasse definitivamente. Segundo Cristovam, esse é o primeiro de uma série de acordos que serão desenvolvidos entre o ministério e a secretaria. “A partir daí, é natural que vamos ter muitos acordos e muitos contatos para trabalharmos juntos”, explicou. A secretaria está funcionando, em caráter provisório, no Ministério da Justiça.

Segundo Cristovam, os eventos comemorativos ao Dia Internacional da Mulher, promovidos pelo MEC, são uma forma de chamar a atenção para o papel das mulheres na solução dos problemas do país. Além da exposição de artistas plásticas, o ministério abre espaço, hoje e amanhã, para outros eventos culturais como recital de poesias em homenagem às mulheres, apresentação musical, estande de livros da Editora Vozes, sessão de cinema com a exibição do filme Chocolate. A programação de hoje também incluiu aula de Ginástica na Empresa, ministrada por profissionais do Sesi (Serviço Social da Indústria). Amanhã, às 11h, Cristovam homenageará três professoras, duas de Brasília e uma de Minas Gerais, que dedicaram suas vidas ao ensino de qualidade.

As funcionárias do MEC também poderão participar de sorteios de livros e de cesta de café da manhã. No ministério trabalham mais de 600 mulheres, estas só do quadro de carreira, sem contar outras profissionais contratadas, como copeiras, faxineiras e as guardetes que fazem segurança no prédio.