Google proibirá anúncios que vendem trabalhos acadêmicos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 22 de maio de 2007 as 19:10, por: cdb
Atualizado em 14/11/16 19:50

Atendendo ao pedido de universidades, o site Google vai proibir, a partir do próximo mês, anúncios que vendam trabalhos acadêmicos como teses e dissertações. Diversas universidades têm reclamado que alunos estão apresentando dissertações e ensaios padronizados vendidos pela internet.

As universidades elogiaram a medida tomada pelo site, que é uma das mais populares páginas de busca da internet. Já empresas que vendem trabalhos acadêmicos alegam que a atividade é legítima e se disseram injustamente punidas. O Google já notificou as empresas.

– Dificultar a vida destas cínicas indústrias de ensaios pela internet é um passo na direção certa -, disse o professor Drummond Boné, presidente da associação de universidades britânicas Universities UK.

De acordo com a entidade, alguns trabalhos chegam a ser vendidos por 5 mil libras (cerca de R$ 20 mil). A Universities UK diz que 12 mil trabalhos acadêmicos são vendidos pela internet por ano.

As dissertações são escritas por acadêmicos freelancers ou por outros estudantes e podem ser facilmente identificados por softwares de plágio usados pelas universidades.

O Google disse que sua política de anúncios é “desenvolvida e avaliada de acordo com múltiplos fatores como considerações legais e culturais, além da experiência dos usuários e consumidores”.

Um porta-voz da empresa disse que a proibição será adotada nos sites Google em todo o mundo. O Google já proíbe propagandas de alguns serviços considerados inaceitáveis pela empresa como armas, tabaco, documentos falsos, curas milagrosas e prostituição.

A empresa britânica www.essaywritter.co.uk, que trabalha no ramo, criticou a decisão do Google, responsável por 80% dos seus clientes.

O diretor Matthew Wilson alega que a empresa está sendo punida apesar de atuar em um ramo legítimo e transparente, já que a www.essaywritter.co.uk avisa os alunos que eles não devem usar o material de forma desonesta.

Wilson disse que um serviço que oferece ensaios exclusivos em tão pouco tempo por cerca de 70 libras (aproximadamente R$ 280) pode ajudar alunos que buscam auxílio extra.