O golpe de Estado ainda paira no ar, alerta Roberto Amaral

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 5 de setembro de 2015 as 14:40, por: cdb

Ex-presidente nacional do PSB, o cientista político Roberto Amaral alerta que “grupos conservadores, reacionários e protofascistas” agem no país, na tentativa de um golpe de Estado contra o governo eleito, democraticamente, da presidenta Dilma Rousseff. O ex-presidente do PSB, falando a jornalistas,definiu como “golpismo explícito” a afirmação do vice-presidente, Michel Temer, na noite de quinta-feira, de que será difícil a presidente Dilma Rousseff concluir seu mandato caso se mantiverem os atuais índices de popularidade, de 7, 8%.

– É muito triste e muito grave. Falou o vice-presidente da República, o sucessor direto da presidente – disse Amaral.

Dilma recebe o apoio de Amaral e de parcela significativa do PSB
Dilma recebe o apoio de Amaral, que alerta para o risco de um golpe de Estado, no país

Para o líder de esquerda, a declaração de Temer não pode ser considerada um deslize, uma vez que Temer, segundo ele, sinaliza de forma recorrente com a hipótese de assumir o governo.

– Dizer que não há uma tentativa de golpe é esconder o sol com a peneira – avaliou.

Na origem da crise, segundo Amaral, está a própria esquerda brasileira que, durante os dois mandatos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e na primeira gestão da presidenta Dilma, não ampliou a resistência à ação dos grupos de ultradireita, encastelados no poder desde o golpe de Estado de 1964. “Quem quiser, no que resta de esquerda brasileira, que construa castelos de areia sobre a ilusão do fim da luta de classes, ou da conciliação dos interesses populares com a burguesia reacionária, rentista, quatrocentona, de nariz arrebitado e cartórios na Avenida Paulista. Nossas ‘elites’ conservadoras têm consciência de classe, mais aguda e mais profundamente que os dirigentes da Força Sindical”, escreveu o líder socialista, ainda em 2012.

Presente durante a manhã deste sábado ao encontro promovido pela Frente Brasil Popular, na capital mineira, Amaral assegura que o antídoto à tentativa de golpe é a manifestação popular, é a presença mobilizada dos movimentos sociais, em um momento grave para a democracia brasileira.

– Uma conjuntura difícil. No meu ponto de vista a mais grave crise desde a democratização – afirmou.

Ouça, adiante, a entrevista de Roberto Amaral à Frente Brasil Popular: