Goleiro genial do Uruguai, Mazurkiewicz morre aos 67 anos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 2 de janeiro de 2013 as 12:55, por: cdb
Mazurkiewicz (E) tenta defender uma jogada do atacante inglês na Copa de 1966
Mazurkiewicz (E) tenta defender uma jogada do atacante inglês na Copa de 1966

O ex-goleiro uruguaio Ladislao Mazurkiewicz, famoso por frustrar dois lances históricos de Pelé, morreu na madrugada desta quarta-feira, em Montevidéu, aos 67 anos. O jogador estava internado desde 24 de dezembro com problemas respiratórios, aos quais se somaram complicações renais. O atleta foi reconhecido como um dos melhores goleiros da história do futebol. Mazurkiewicz também jogou pelo Atlético Mineiro entre 1971 e 1974. Pela seleção uruguaia, participou nas Copas do Mundo de 1966, 1970 e 1974, e conquistou a Copa América de 1967.

Mazurkiewicz atuava como treinador de goleiros do Peñarol, mas teve a carreira interrompida após a piora em seu quadro de saúde. No clube, conquistou recentemente o título de campeão do Torneio Apertura do campeonato nacional.

Na Copa do Mundo de 1970, no México, Mazurkiewicz era titular na equipe que enfrentou o Brasil, nas semifinais. Em um dos lances mais brilhantes da partida, tomou um drible de corpo de Pelé na entrada da área, mas teve sorte e o atacante finalizou para fora. No mesmo jogo, cobrou mal um tiro de meta, e o camisa 10 brasileiro emendou de primeira, mas Mazurkiewicz se recuperou encaixando a pelota. Apesar dos esforços do goleiro, o Brasil venceu aquela partida por 3 a 1. Clodoaldo, Jairzinho e Rivellino marcaram os gols da vitória dos futuros campeões do mundo, de virada, após Cubilla abrir o placar.

A jogada marcante, entretanto, foi o drible da vaca de Pelé sem toque na bola. O lance foi inclusive recriado por computação gráfica, décadas depois, simulando um gol que jamais ocorreu. Mazurkiewicz tinha o apelido de Chiquito e com apenas 1,79 m de altura, foi revelado no Racing de Montevidéu. Antes de defender o Peñarol, também jogou no Granada, da Espanha, no Cobreloa, do Chile, e no América de Cáli, da Colômbia. Retornou ao time ‘aurinegro’ da capital uruguaia e lá ficou até o fim da carreira, em 1981.