Glaucoma, segunda causa de cegueira no mundo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 14 de março de 2012 as 11:06, por: cdb

Por Laura Islas
Tradução: ADITAL
Março 13 de 2012

– No Dia Internacional do Glaucoma, busca-se chamar a atenção sobre suadetecção a tempo;
– Algunos fatores genéticos são a raça, a herança e a idade.

Alguns especialistas descreveram o glaucoma como uma enfermidade”devoradora e silenciosa”, padecimento considerado a segunda causa de cegueirano mundo –somente depois da renitopatia diabética-, declararam especialistas nomarco do Dia Mundial do Glaucoma, celebrado ontem (12 março).

O glaucoma é um grupo de transtornos oculares que causam dano ao nervoótico, encarregado de levar a informação do olho ao cérebro. Na maioria doscasos, o dano ao nervo se deve ao aumento da pressão em um olho, conhecida comopressão intraocular e pode ocasionar cegueira permanente e, inclusive, a perdado órgão.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) revelam que 2.4 milhõespessoas registram a cada ano Glaucoma Primário de Ângulo Aberto (GPAA), que é otipo mais comum, enquanto que 5.2 milhões padecem algum dos 60 ou 70 queexistem, além de que, estima-se, que 4.5 milhões perderam a vista devido aoglaucoma primário.

No Distrito Federal (México), como parte das celebrações da SemanaMundial do Glaucoma (de 11 a 17 de março), realizou-se o fórum “Dia Mundial doGlaucoma. Tomemos consciência para uma detecção oportuna”, na qual o médicoAndrés González Morales explicou que no México “temos que semear a semente”para criar uma educação da saúde e declarou que o objetivo “é levar até o maisrecôndito do país a importância do glaucoma”.

González Morales disse que, diferente das cataratas, onde se podereverter a cegueira, no caso do glaucoma, é irreversível. Agregou também queexistem alguns fatores genéticos que predispõem ao glaucoma, tais como a raçanegra, os antecedentes familiares e ser maior de 40 anos.

Vincent Korder Ortega, ex-presidente do Colégio mexicano de Glaucoma,mencionou que 90% dos enfermos não têm sintomas e que é um padecimento quecausa deficiência, já que, ao diminuir a visão, registram-se problemas para lere dirigir, bem como alterações na mobilidade, ao tropeçar em objetos devido áredução da visibilidade.

Tania Hernández Paredes, médica do Hospital Primero de Octubre, disseque a população em geral deve fazer exames oftalmológicos anualmente, revisar apressão intraocular, sobretudo se tiverem antecedentes familiares. Agregou queo glaucoma pode ser causado por diabetes, hipertensão e, inclusive, por umgolpe; ou pode ser congênito.

Korder Ortega explicou que existem três tipos de tratamento paracontrolar o glaucoma: o médico, aplicado a 70% dos pacientes; o laser, queajuda a diminuir a pressão intraocular, e geralmente é usado para quem nãotolera os colírios; e a cirurgia, que, às vezes, falha e que, em alguns casos épreciso fazer mais de uma.

Nos Estados Unidos, calcula-se que entre 2.250.000 pessoas podem terglaucoma, enquanto que no México não existem cifras confiáveis, objetivo que oColégio Mexicano de Glaucoma, encabeçado pelo médico Andrés Morales González,busca alcançar.

No fórum, organizado pela farmacêutica Merk Sharp & Dohme,participaram também os médicos Jesús Jiménez Román e Alfonso García López.