Ginástica acrobática rumo ao Mundial

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 7 de abril de 2012 as 10:06, por: cdb

Patrocínio do GDF garantirá, pela primeira vez, a participação de 17 atletas brasilienses no principal campeonato da modalidade. Competição será realizada na Flórida (EUA)

Thais Antonio, da Agência Brasília

O esporte brasiliense comemora uma conquista inédita: na próxima segunda-feira, 17 jovens atletas brasilienses embarcam para Orlando, na Flórida (Estados Unidos), onde participarão, de 12 a 23 de abril, do 23º Mundial de Ginástica Acrobática. Eles comporão, ao lado de 19 atletas de São Paulo, a Seleção Brasileira da modalidade. É a primeira vez que uma equipe brasileira de ginástica acrobática participa de uma competição internacional.
 
A participação dos atletas do Distrito Federal na competição só foi possível graças a um convênio entre a Secretaria de Esporte e a Federação Brasiliense de Ginástica, assinado nesta quarta-feira. O GDF custeará passagens, hospedagem e inscrição. Os atletas são, principalmente, moradores de cidades de baixa renda do DF, estudantes de escolas públicas – ou bolsistas em escolas particulares – e integrantes de famílias carentes. A maioria deles mora em cidades como Ceilândia, Estrutural, Gama e Riacho Fundo II.
 
“Boa parte dos atletas que participarão do campeonato vêm de regiões não tão privilegiadas e dificilmente teriam a oportunidade de participar de uma competição e viajar para fora do país se não fosse por meio do esporte”, observou o secretário de Esporte, Célio René. Ele explicou que esta é a segunda etapa de um plano da atual gestão para ampliar a prática esportiva no DF. “No ano passado, investimos na massificação e agora começamos a dar condições para que os talentos esportivos desenvolvam seus potenciais”, destacou.
 
O presidente da Federação Brasiliense de Ginástica, Marcos Antônio Martins, comemorou a assinatura do convênio. “É a primeira vez que uma equipe de ginástica acrobática sai do país para um campeonato mundial. É um momento histórico na ginástica brasileira”, contou. Além dos brasilienses, 19 atletas de São Paulo também farão parte da Seleção Brasileira.
 
Histórico – A ginástica acrobática chegou a Brasília em 2008, quando a treinadora Márcia Colognese veio morar na cidade. Logo que chegou, ela começou a treinar um grupo de 10 ginastas no Centro Interescolar de Educação Física (Cief). Na época, a professora já acumulava uma experiência de 21 anos na modalidade. Desde então, a equipe aumentou em número – já há mais de 100 ginastas em Brasília – e qualidade – os 17 atletas que participaram da seletiva para o mundial, em dezembro de 2011, foram classificados. Hoje, os atletas treinam em uma tenda anexa ao Ginásio Nilson Nelson.
 
A Seleção Brasileira começou a treinar em janeiro deste ano. Para escolher os atletas que disputariam a seletiva, Márcia observou características como talento, garra, disponibilidade e vontade de ser ginasta. Foram essas qualidades que transformaram Andressa Tolentino, de 14 anos, em uma das atletas da equipe. Ela descobriu a ginástica acrobática em 2008 e, quatro anos depois, competirá na categoria de trios com as colegas Sabrina Rodrigues e Bárbara Santos. Na apresentação, ela mostrará suas habilidades como volante – a menina mais leve do trio, que fica no topo dos movimentos em forma de pirâmide.
 
Andressa mora na Cidade Estrutural com a mãe, o padrasto e duas irmãs. Acorda todos os dias às 5h30 e pega o ônibus para uma escola particular na Asa Sul, onde tem uma bolsa de estudos conquistada com o talento esportivo. Ela treina quatro horas por dia, à tarde, de segunda a sábado. “A ginástica é tudo pra mim, é minha vida”, disse. “Não é só um esporte. Ensina muitos valores, como responsabilidade, união, mais amor ao próximo e bastante disciplina”, considera.
 
A jovem fará sua primeira viagem internacional, representando a seleção brasileira, assim como outros 15 colegas da equipe – apenas uma menina do grupo já viajou para fora do país. Andressa só saiu de Brasília para competir em São Paulo e Mato Grosso. O campeonato nos Estados Unidos enche a garota de expectativas. “Esta competição é uma oportunidade única. Temos que fazer o nosso melhor porque não sabemos quando vamos ter outra chance destas”, afirmou.
 
Ana Luiza Costa, 11 anos, moradora de Sobradinho, entrou na ginástica acrobática por acaso quando procurava aulas de ginástica rítmica. Não imaginava que a escolha “acidental” a levaria para a seleção. Às vésperas da viagem, está empolgadíssima com a competição e espera encontrar nos Estados Unidos “um monte de pessoas diferentes”. Ela faz dupla com Apolônio de Souza, atleta de 15 anos que mora na Cidade Ocidental, em Goiás. “A competição vai ser difícil, só que a gente está treinando para isso”, disse Ana Luiza. Apolônio pretende levar na bagagem a experiência que acumulou em competições de breakdance, um estilo de dança de rua, que praticava antes da ginástica. “Estou tranquilo. Não tenho muita ideia do que vou encontrar por lá, mas acho que vai ser muito legal”, declarou.
 
Centro olímpico – Além de Andressa, outros jovens da Estrutural também podem praticar ginástica acrobática perto de casa. O centro olímpico da cidade, inaugurado no final de dezembro de 2011, oferece aulas para iniciantes na modalidade. “Será o nosso celeiro da modalidade”, destacou o secretário de Esporte.
Saiba mais – a ginástica acrobática é uma das três modalidades da Federação Internacional de Ginástica (ao lado das mais conhecidas ginásticas artística e rítmica). Tem como principais características a execução de exercícios que exigem força, agilidade e equilíbrio. As apresentações são feitas com acompanhamento musical e requerem expressão e movimentos do corpo perfeitamente sincronizados com a música.

Foto: Lula Lopes