Garner diz que pretende criar ‘ambiente para a democracia’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 28 de abril de 2003 as 09:13, por: cdb

Jay Garner, o general americano reformado responsável pela administração interina do Iraque, disse que está no país “para criar um ambiente que iniciará um governo democrático que represente todos os povos, religiões, tribos, grupos étnicos e profissões”.

A declaração foi feita na abertura de um conferência em Bagdá que reuniu delegados de vários grupos iraquianos.

“Estamos seguindo por dois caminhos lado a lado. O primeiro é a reconstrução, e o segundo é o governo. Eu vou dar a vocês um relatório sobre reconstrução, e vocês vão começar o processo de governo, e é nosso dever dar a vocês os instrumentos que vocês precisam e os recursos que vocês precisam”, disse Garner.

No início da conferência, milhares de manifestantes da maioria xiita do Iraque protestaram contra a influência americana na formação do futuro governo no país.

Revolução islâmica

Cerca de 300 representantes de grupos religiosos, étnicos e políticos no Iraque estão participando da conferência.

Entre os delegados, estão até mesmo representantes do grupo da maioria xiita Conselho Supremo da Revolução Islâmica no Iraque, que boicotou a primeira reunião convocada pelos americanos, em Nasiriya, há poucas semanas.

No entanto, ainda não está claro que outros grupos estão participando da reunião desta segunda-feira.

O maior aplauso ao general reformado na conferência até agora foi quando ele prometeu que o petróleo do Iraque será do povo iraquiano.

Segurança

Na fala que fez na abertura da conferência nesta segunda-feira, Garner disse que a prioridade no momento é restaurar a ordem.

Outra reunião será realizada na terça-feira em Bagdá para discutir as necessidades de segurança na cidade, e outras com o mesmo objetivo serão organizadas no resto do país.

“Antes que possamos começar a reconstrução de forma bem sucedida, temos que ter segurança, e estamos tentando fazer com que o Iraque seja seguro”, disse Garner.

Segundo ele, um dos objetivos será criar uma força policial que seja aceita pela população. Ele também disse que precisava que os iraquianos trabalhasem junto com eles.