Fuzilamentos em Cuba foram ‘questão de vida ou morte’, diz Fidel

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 11 de maio de 2003 as 14:19, por: cdb

O ditador cubano, Fidel Castro, justificou neste domingo o fuzilamento de três homens que tentavam fugir da ilha como uma “questão de vida ou morte”, para evitar um confronto armado com os Estados Unidos.

Em entrevista ao jornal argentino Página 12, Castro disse que “a máfia terrorista de Miami”, em combinação com a extrema direita dos EUA, tenta criar uma grave crise que poderia conduzir a um confronto armado entre os dois países.

– O plano concebido de antemão consistia em provocar, com uma onda de sequestros, uma crise migratória que seria utilizada como pretexto para um bloqueio naval, o que inevitavelmente conduziria a uma guerra -, afirmou o ditador cubano.

Ele disse ter avaliado o repúdio que uma medida extrema como essa poderia gerar, inclusive em alguns “antigos amigos da revolução cubana”.

– Sabíamos do preço dessa medida, já que hoje em dia o número de pessoas que se opõem a ela (a pena de morte) cresce cada vez mais; o que realmente me alegra, tendo em vista que compartilhamos, e por razões profundas, do aborrecimento da pena capital -, afirmou Fidel.