Furlan diz que espera evolução nas negociações da Alca

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 17 de novembro de 2003 as 17:13, por: cdb

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, disse nesta segunda-feira que espera evolução nas negociações da reunião ministerial da Área de Livre Comércio das Américas (Alca), rumo à formação do bloco em 2005.

Segundo ele, Brasil e Estados Unidos, que co-presidem as negociações, “baixaram a bola” e estão convergindo para a flexibilidade.

— Estamos procurando construir em cima de convergências e não ressaltando as divergências. Brasil e Eestados Unidos estão com tom adequado — disse o ministro. Ele participa do Brazil Day, um encontro que trouxe a Nova Iorque 21 representantes de grandes empresas brasileiras.

Às 9h30, Furlan abriu a Bolsa de Valores de Nova Iorque e, durante todo o dia, os empresários juntamente com o ministro, falam das possibilidades de investimentos no Brasil a cerca de 200 investidores norte americanos.

— Estamos vindo aqui num momento favorável, em que o Brasil está sendo visto positivamente — disse ele, referindo-se especialmente aos representantes de empresas que estão nesta segunda-feira “protagonizando os grandes superávits do mercados internacionais”. Furlan citou o Banco do Brasil e Petrobrás.

O ministro comentou o programa de política industrial, que deverá ser lançado na semana que vem no Brasil. Entre as ações previstas no programa estão o investimento em tecnologia para software e a desoneração dos bens de capital.

Furlan informou que o presidente, que fará o lançamento, já aprovou o esboço do programa, mas ainda faltam alguns detalhes, como a maneira de fazer a desoneração dos bens de capital.

Segundo Furlan, ela pode ser feita de maneira gradual, envolvendo horizontalmente todo o setor produtivo ou por área, de acordo com os setores considerados prioritários para o governo.