Furacão vence o Corinthians por 3 a 1

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 6 de julho de 2003 as 20:16, por: cdb

Não era, definitivamente, dia do Corinthians na Arena da Baixada. O time perdeu pênalti, sofreu gols em momentos que acabaram com suas chances e caiu diante do Atlético-PR por 3 a 1, debaixo de uma chuva forte que, durante boa parte da partida, deixou o gramado impraticável.

Era, sim, dia de Ilan. O atacante marcou os três gols do jogo e assumiu a artilharia do Brasileirão com 13 gols, um a mais do que Luís Fabiano, Deivid e Dimba. O primeiro foi aos 21, quando a chuva começava a ficar realmente forte; outro aos 39, logo depois de as equipes retornarem de uma paralisação de 20 minutos devido ao estado do gramado, e, para selar, o artilheiro marcou um golaço de cobertura aos 36 do segundo.

O gol de honra corintiano veio aos 41 minutos, com Gil, aproveitando bola que sobrou na entrada da pequena área. Logo no início do jogo, aos quatro minutos, Rogério bateu na trave um pênalti sofrido por Moreno. Com a derrota, o Timão – e sobretudo o técnico Geninho – encara como decisão a partida da próxima quarta-feira, diante do Santos. O Corinthians segue com 23 pontos, em nono lugar.

Já o Atlético sobe a 20 pontos na tabela e deve terminar a rodada em 15º lugar. Na quarta-feira, a equipe vai ao ABC paulista enfrentar o São Caetano.

Se existe algo de que não se pode reclamar com relação à primeira etapa é que tenha sido monótono. Desde o princípio, houve motivo para emoção. Primeiro, por causa do empenho das duas equipes em atacar; depois, por causa da chuva.

Logo aos quatro minutos, Moreno invadiu a área pela esquerda e foi derrubado por Alessandro. Pênalti. Rogério bateu no canto esquerdo, e o goleiro Diego caiu no direito. Para sua sorte, a bola explodiu na trave. Foi o quinto pênalti batido contra o gol do Furacão neste Brasileiro e o quarto que não entra.

Os atleticanos se inflamaram com o pênalti perdido por Rogério e partiram para cima. O problema foi que a chuva que castigava Curitiba desde um pouco antes do jogo também se animou. Quando Ilan recebeu na meia-lua, passou pelo zagueiro Ânderson e trombou para dentro da área para marcar o primeiro gol da partida, aos 21, o campo já começava a ficar em más condições. Mais alguns minutos e sobretudo uma metade do gramado – que foi plantada há pouco tempo – não permitia mais que houvesse futebol. O juiz Leonardo Gaciba teve bom senso para perceber e paralisar a partida durante 20 minutos.

O campo ainda estava bastante molhado e havia poças, mas, com a chuva cessando, ao menos era possível que a ação se parecesse com uma partida de futebol. As poças d’água não permitiam lá muito toque de bola e seria complicado que surgisse alguma coisa de jogadas trabalhadas. Tanto que o segundo gol do Atlético veio em um escanteio. Kléberson cobrou na cabeça de Leomar, que mandou a bola no chão, para o canto direito. Ela passou por Doni e sobrou em cima da linha para Ilan fazer seu segundo na partida. Eram 39 minutos.

A segunda etapa tinha tudo para ser marcada pelas tentativas do Corinthiansmarcar, mas, devido à proteção paranaense e ao gramado encharcado, não conseguir. Foi assim mesmo durante um bom tempo. O jogo ficou nervoso, com carrinhos mais duros e dois princípios de tumulto entre as equipes. Mas não ficou só nisso.

Aos 35, o gol mais bonito do jogo: Ilan aproveitou contra-ataque e, de cara com Doni, tocou de cobertura, com perfeição. A partida estava definida, mas o Coritnhianas ainda teve fôlego para, aos 41 minutos, Gil diminuir.

ATLÉTICO-PR 3 X 1 CORINTHIANS

Atlético-PR
Diego, Alessandro, Rogério Corrêa, Capone (Igor) e Ivan; Luciano Santos, Leomar, Jadson (Douglas Silva)e Kléberson; Ilan e Dagoberto (Fernandinho)
Técnico: Osvaldo Alvarez

Corinthians
Doni; Rogério, Fábio Luciano, Anderson e Moreno; Cocito (Renato), Fabinho e Jorge Wagner (Fabrício); Leandro, Liedson e Gil
Técnico: Geninho

Data: 06/07/2003
Local: Estádio Joaquim Américo (Arena da Baixada), em Curitiba
Árbitro: Leonardo Gaciba da Silva (RS)
Assistentes: Altemir Hausmann