Fugitivo real cuja história parece ficção é vivido por DiCaprio em filme

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 20 de fevereiro de 2003 as 22:27, por: cdb

O galã Leonardo DiCaprio encarna no cinema uma história real que mais parece ficção. “Prenda-me Se For Capaz”, a mais recente empreitada de Steven Spielberg, estréia nesta sexta-feira, dia 21, nos cinemas brasileiros.

DiCaprio é o golpista Frank Abagnale Jr., personagem real norte-americano que vive parte da adolescência e da juventude aplicando mini-golpes bancários e trocando de identidade até ser preso pelo FBI (Birô Federal de Investigação).

O galã, que prova no filme seu talento como ator, contracena com Tom Hanks, Christopher Walken e Martin Sheen, entre outros, numa aventura despretensiosa, mas que impressiona pela ousadia. Depois deste trabalho, DiCaprio se tornou o ator favorito de Spielberg.

Walken, que vive o pai de Abagnale Jr. no filme, também teve seu talento reconhecido: concorre ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante pelo seu papel em “Prenda-me Se For Capaz”.

No filme, Hanks vive o investigador Carl Hanratty, do FBI, que é encarregado de prender Abagnale Jr. a todo custo. Sheen vive o sogro de Abagnale Jr. em uma de suas múltiplas identidades, que passam de comandante aéreo a médico, sempre buscando a boa vida, sem precisar trabalhar, é claro.

“Prenda-me Se For Capaz” tem muitos momentos de comédia, mas pode ser visto também como um drama. Carl Hanratty (Hanks) vive uma relação de pai com Abagnale Jr.. Eles se falam em todo dia de Natal e conversam por telefone frequentemente, até que, quando é capturado, o golpista escapa das mãos do investigador e vai para a prisão na França.

Em muitos dos desencontros, o golpista fugiu por poucos segundos da prisão, o que acabou aproximando os dois, devido à complexidade que o caso ganhou. O filme mostra o bandido, na verdade, como uma espécie de mocinho. É para ele que o espectador torce, não para o policial, o que coloca em xeque, em muitas vezes, a ética.

Abagnale, personagem da vida real, foi consultor do filme antes de seu roteiro ser concluído. Depois que foi preso, ele se tornou consultor do FBI para solucionar crimes como o que cometia. O personagem de Hanks também é real e ambos mantém amizade até hoje.

O filme é baseado em um livro escrito pelo próprio Abagnale, distribuído no Brasil pela editora Record e vendido a R$ 38 (preço sugerido).

Trilha sonora de “Prenda-me Se For Capaz” tem João Gilberto

A trilha sonora de “Prenda-me Se For Capaz”, o novo filme de Steven Spielberg, tem João Gilberto (ícone da Bossa Nova) e Stan Getz na versão português e inglês de “Garota de Ipanema”. A canção ainda tem uma participação especial de Tom Jobim.

Além das músicas incidentais, o CD traz também clássicos norte-americanos da década de 60, e inclui Frank Sinatra e Nat King Cole, e se revela como uma jóia da música internacional.

O CD de “Prenda-me Se For Capaz” foi produzido pelo maestro John Williams, que tem acompanhado Spielberg em seus últimos trabalhos.

Segundo os produtores, a trilha sonora mistura uma variedade de canções populares que, justamente, evocam à época, como o clássico Come Fly With Me, de Sinatra, preferida do diretor e uma das mais marcantes do filme.

Williams afirmou que compôs a trilha, algo baseado no jazz progressivo, com base em Henry Mancini, maestro que trabalhou para cinema nos anos 60.

A trilha ainda traz as canções The Christmas Song, de Nat King Cole, The Look of Love (Dusty Springfield) e a inédita Catch me if you Can, tema e título do filme.

No Brasil, o CD foi lançado ontem pela Universal Music, e pode ser encontrado por R$ 29, em média.