Frente fria prejudica festividades da Sexta-feira Santa no Sul

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 18 de abril de 2003 as 19:56, por: cdb

Com a forte chuva que começou a cair em Porto Alegre, às 15h30, exatamente no horário marcado para o início da 43ª edição da procissão do Morro da Cruz, no bairro Partenon, a mais tradicional da capital gaúcha, apenas cerca de mil pessoas participaram da via sacra.

Os organizadores da procissão e encenação da paixão, morte e ressurreição de Cristo esperavam, no mínimo, 20 mil pessoas. Neste ano foi escolhido, para procissão, o tema da Fraternidade e Paz, com a maioria das pessoas vestindo branco.

Já a encenação, no topo do morro, mesmo sob chuva, foi assistida por cerca de três mil pessoas. Um outro evento tradicional em Porto Alegre prejudicado pelo mau tempo foi a procissão do Senhor Morto, que saiu da Catedral Metropolitana, no centro da cidade.

No início da noite, com a chegada de uma frente fria, a temperatura caiu dos 29 graus registrados ao meio dia para 20 graus, o que prejudicou ainda mais as festividades.

No interior, na grande maioria das cidades gaúchas, houve celebrações, com procissões, missas e encenações da Paixão e Morte de Cristo. Em Novo Hamburgo no Vale dos Sinos, a 45 quilômetros de Porto Alegre, foi realizada a procissão iluminada, com as pessoas portando velas acesas.

Em Gramado, os peregrinos lotaram os hotéis e pousadas da região. Nesta cidade, a procissão dos Passos, marcada para a noite desta sexta-feira, foi transferida para o próximo domingo, às 20h, em virtude da chuva. Em Santo Ângelo, na região das Missões, idosos assumiram o papel dos 12 apóstolos na cerimônia de lava-pés.