Frei Betto destaca educação nutricional

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 29 de abril de 2003 as 09:41, por: cdb

O assessor especial da Presidência da República, Frei Beto fez palestra ontem sobre o programa Fome Zero na Faculdade Michelangelo, em Brasília. A Michelangelo recolheu cerca de cinco toneladas de alimentos para o Fome Zero e também assinou um protocolo que permite que suas instalações sejam usadas pelo governo para coordenar o programa. Frei Beto elogiou a faculdade e disse que levaria o protocolo para o Conselho de Reitores de Universidades Brasileiras (Crub) para servir de modelo para futuras parcerias.

Na palestra, Frei Beto afirmou que o Fome Zero não é assistencialista e sim um programa de inclusão social, que gera renda e emprego. “O cartão-alimentação, com o qual a família carente poderá retirar até R$ 50 por mês, vai fazer com que renda seja distribuída e dinheiro circule nos municípios mais pobres”, destacou. A transparência também seria maior, já que o programa será acompanhado pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Ele acrescentou que a iniciativa não é algo recente ou demagógico, pois vem sendo desenvolvido desde 1990 e um dos primeiros a se preocupar com segurança alimentar no país.

Outro ponto importante do Fome Zero é a educação nutricional. “Nosso povo é ignorante em termos de educação alimentar. Não comemos adequadamente e desperdiçamos muito alimento, como talos de verduras”, apontou Frei Beto. Para ele, a educação da população e seu engajamento na programa é indispensável para que o Fome Zero atenda todo o país. Além disso os habitantes de cada região devem procurar quais as soluções mais apropriadas para o local. “Não adianta querermos por exemplo adicionar produtos típicos do Nordeste em cestas básicas do Rio Grande do Sul”, explicou.

No fim da palestra, um estudante criticou o governo por continuar fazendo pagamentos da dívida externa e por negociar a Área de Livre Comércio da América Latina (Alca). “O presidente Lula ganhou uma eleição e não uma revolução. Quando assumiu, assumiu também um compromisso com o Estado de Direito e com os contratos já fixados”, respondeu Frei Beto.