França julga aposentado acusado de matar 7 meninas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 14 de novembro de 2003 as 18:16, por: cdb

Um motorista de ônibus aposentado será julgado como único responsável pelo seqüestro e o assassinato de sete meninas deficientes no final da década de 70 no centro da França. Os corpos de apenas duas meninas, todas deficientes mentais, puderam ser recuperados.

A juíza de instrução Claudine Philippe, que deu por encerrado o sumário na semana passada, decidiu enviar o suspeito Emile Louis a um tribunal devido aos sete casos, apesar de pairar a dúvida sobre a possibilidade de prescrição de algum deles. Inicialmente, Louis, processado por assassinatos desde março de 2002, reconheceu ser o autor do seqüestro e da morte de todas as meninas, mas depois se retratou.

O suposto autor dos crimes contra as desaparecidas do departamento de Yonne, como se conhece este caso, foi detido em dezembro de 2000, apesar de ser suspeito desde os anos 80. As famílias das vítimas estão convencidas de que o dossiê judicial foi “enterrado” voluntariamente e que está relacionado com outro caso de abusos sexuais, torturas e assassinato de mulheres registrado também em Yonne.

A má gestão da investigação judicial motivou a punição de quatro procuradores julgados por negligência pelo Conselho Superior da Magistratura (CSM). Aquela foi a primeira vez na França que quatro procuradores eram julgados e punidos por responsabilidade em irregularidades registradas em uma investigação judicial.

O caso das desaparecidas de Yonne voltou à tona em 1996 pela Associação de Defesa dos Deficientes, que conseguiu em maio de 1997 que a Justiça de Paris ordenasse sua reabertura.