França baniu partido de extrema direita

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 6 de agosto de 2002 as 12:18, por: cdb

O governo da França determinou nesta terça-feira o banimento do Partido da Unidade Radical, de extrema-direita, ao qual está ligado Maxime Brunerie, o homem que a polícia disse ter tentado matar o presidente Jacques Chirac, em 14 de julho, durante as comemorações do Dia da Queda da Bastilha. O ministro do Interior, Nicolas Sarkozy, declarou à imprensa que o governo adotou um decreto que proscreve a legenda. Uma lei de 1936 proíbe a existência de grupos que provoquem discriminação racial ou ódio étnico. O Unidade Radical divulgou uma nota afirmando que “nunca tentou sair da legalidade” e que não era uma milícia, conforme a terminologia da lei. A polícia disse que Brunerie, de 25 anos, que supostamente atirou na direção de Chirac durante o desfile militar que marcava a data nacional, em Paris, estava envolvido com vários grupos neonazistas e de extrema-direita, inclusive o Unidade Radical. Brunerie está sendo investigado por tentativa de assassinato. Ele teria declarado a policiais que tentou matar Chirac para “salvar a França”.