Fracassam negociações para pôr fim à crise em Honduras

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 23 de outubro de 2009 as 09:22, por: cdb

As negociações para pôr fim à profunda crise política em Honduras fracassaram nesta sexta-feira por divergências sobre a volta do presidente deposto Manuel Zelaya ao poder após sua derrubada em um golpe em junho.

É a segunda vez que enviados do presidente deposto – que voltou ao país no mês passado e se refugiou na embaixada brasileira – e o presidente de facto, Roberto Micheletti, tentaram sem sucesso chegar a uma solução negociada.

– Por ora, vemos essa fase como finalizada – disse Mayra Mejia, enviada de Zelaya, referindo-se ao diálogo por volta da meia-noite (horário local, 4h em Brasília).

Negociações mediadas pelo presidente da Costa Rica, Oscar Arias, e apoiadas pela Organização dos Estados Americanos (OEA) já haviam fracassado anteriormente.

O campo favorável a Zelaya havia estabelecido um ultimato para a equipe de Micheletti apresentar uma nova oferta e prometeu se retirar das conversas caso a proposta não incluísse a volta de Zelaya ao poder.

– O ponto fundamental é a restauração do presidente Zelaya e não havia vontade política para isso – disse Mejia a repórteres no saguão de um hotel em Tegucigalpa que sediou as negociações de três semanas.

Mejia disse que a equipe se reunirá com Zelaya na embaixada brasileira para analisarem quais serão os próximos passos.

Soldados tiraram Zelaya da cama e o levaram para a Costa Rica em 28 de junho após ele irritar líderes empresariais, militares e políticos de seu próprio partido ao aproximar Honduras do presidente venezuelano, Hugo Chávez.

Os críticos do presidente deposto afirmam que ele violou a Constituição ao fazer uma tentativa de permitir a reeleição, acusação que Zelaya nega.