Fórum vai divulgar ranking da baixaria na TV

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 21 de janeiro de 2005 as 09:58, por: cdb

 A campanha “Quem Financia a Baixaria é Contra a Cidadania”, uma iniciativa da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados e cerca de 60 entidades da sociedade civil, participa do Fórum Social Mundial, em Porto Alegre, com o objetivo de discutir a Ética e o Controle Social da Programação Televisiva. Durante o painel, será divulgado o VIII ranking dos cinco programas que mais desrespeitam os direitos humanos na televisão. Pela primeira vez, desde que foi criada há dois anos, a campanha tornará públicos os nomes das empresas que anunciam em programas denunciados pela sociedade.

Coordenador da campanha, o deputado Orlando Fantazzini (PT-SP) informou que a iniciativa terá, a partir de agora, um novo perfil.

– Nossa pretensão é continuar insistindo em criar, por meio de lei, um controle social e um instrumento que assegurem a defesa do telespectador frente à programação de televisão, conforme está disposto na Constituição.

O próximo passo da campanha, segundo o deputado, será a mobilização em torno da aprovação do projeto de lei 1600/03, que cria o Código de Ética e o Conselho de Acompanhamento da Programação. Proposto pelo próprio Fantazzini, o projeto cria também a Comissão Nacional pela Ética na Televisão.

Além do deputado Orlando Fantazzini, que vai falar sobre os objetivos e experiências da campanha, participarão do painel Ética e o Controle Social da Programação Televisiva, representantes do Ministério Público Federal e da Universidade de São Paulo (USP). O debate será no dia 29 de janeiro, das 15h30 às 17h30, na Usina do Gasômetro, e será coordenado pelo professor Edgar Rebouças, representante da campanha no Rio Grande do Sul.

Mais 10 mil leitos

Os Programas de Hospedagem Solidária e Alternativa desenvolvidos para o 5º Fórum Social Mundial em Porto Alegre precisarão oferecer mais 10 mil leitos para os participantes do evento. Um volume de mais de 3 mil novas inscrições alertou os coordenadores do setor para a necessidade de ampliar o cadastro de hospedagem solidária.

– Projetamos que os programas ainda serão procurados por cerca de 10 mil pessoas até o Fórum, o que indica a necessidade de aumentar a oferta de leitos – prevê Débora Beron da Coordenação de Hospedagem.

Segundo ela, há grande procura por acomodações gratuitas ou com diárias de até R$ 20,00 por pessoa na Hospedagem Solidária (em residências de famílias voluntárias), e de até R$ 10,00 na modalidade Alternativa (em alojamentos, clubes, associações, paróquias e campings). Até o momento, os dois programas já asseguraram leitos para 12 mil hóspedes.

O número é relativamente próximo ao da capacidade hoteleira, de 15 mil leitos, de Porto Alegre e região. Mesmo assim, quase 7 mil participantes do FSM estão na lista de espera aguardando confirmação de hospedagem.

Débora diz que, além das pessoas inscritas, é esperado um grande número de solicitações de acomodação às vésperas do evento. As pessoas ou instituições interessadas em participar dos programas de hospedagem, oferecendo leitos ou espaços para acomodação de visitantes, devem procurar o escritório municipal Porto Alegre Turismo – Travessa do Carmo, 84 – Cidade Baixa ou acessar o site www.forumsocialmundial.org.br e preencher a ficha de inscrição.