Forças anglo-americanas ainda encontram resistência em Bagdá

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 10 de abril de 2003 as 08:28, por: cdb

Fuzileiros navais americanos estão revistando uma mesquita em Bagdá à procura de Saddam Hussein, pouco depois de enfrentarem um intenso tiroteio às margens do rio Tigre, nas proximidades de um palácio presidencial, nesta quinta-feira.

Segundo o correspondente da BBC David Willis, que acompanha as tropas, os americanos foram atacados, provavelmente, por tropas de elite da Guarda Republicana. Um soldado americano foi morto na batalha de meia hora, segundo Willis.

Tanques americanos ocupam o centro de Bagdá um dia depois de que centenas de iraquianos foram às ruas se manifestar contra Saddam Hussein e assistir à derrubada de uma estátua do presidente iraquiano.

O secretário americano de Defesa, Donald Rumsfeld, descreveu as cenas vistas nas ruas de Bagdá como “emocionantes e históricas”.

Barricadas

Nesta quinta-feira, no entanto, a maioria dos habitantes da capital iraquiana recolhidos em suas casas, com medo de saques e da falta de segurança na região central da cidade.

Muitos iraquianos formaram barricadas dentro das próprias casas para impedir roubos, e a maior parte de Bagdá permanece sem energia elétrica.

Um correspondente da BBC na capital iraquiana afirma que explosões ainda são ouvidas nos subúrbios da cidade à medida que as tropas americanas consolidam a ocupação de Bagdá, mas os soldados ainda não preencheram o vácuo de poder deixado pelas forças iraquianas que abandonaram a região.

Na quarta-feira, enquanto os americanos ocupavam o centro de Bagdá, um grupo de iraquianos saqueou os escritórios das ONU na cidade e incendiou o prédio do Comitê Olímpico Iraquiano – dirigido por Uday Hussein, filho mais velho do presidente iraquiano.

O som distante de tiros, explosões e aviões de combate continuou de maneira incessante na capital iraquiana durante toda a noite e ainda estava presente na manhã desta quinta-feira.

De acordo com um repórter que acompanha as tropas americanas, um dos objetivos das operações realizadas durante a madrugada era garantir o controle da área ao redor de Cidade Saddam, um bairro de maioria xiita no leste de Bagdá.

Comandantes americanos afirmam que, apesar da “recepção festiva” encontrada pelas tropas no centro da capital iraquiana, a campanha militar ainda está longe do fim, tanto em Bagdá quanto em outras regiões do Iraque.

Na quarta-feira, o porta-voz da Casa Branca, Ari Fleischer, disse que as forças americanas ainda vão enfrentar “muitos perigos” nos próximos dias.

Em suas declarações, o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Donald Rumsfeld, seguiu o mesmo tom e disse que o presidente iraquiano, Saddam Hussein, e seus aliados ainda precisam ser capturados.