Fontes confirmam morte de refém britânico

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 8 de outubro de 2004 as 10:20, por: cdb

O refém britânico Kenneth Bigley foi decapitado perto de Bagdá na quinta-feira, informaram nesta sexta-feira fontes na cidade iraquiana de Falluja, dominada por rebeldes. Segundo as fontes, Bigley foi assassinado na cidade de Latifiya, 35 quilômetros ao sudoeste da capital iraquiana. As fontes se negaram a dizer como obtiveram as informações.

O assassinato do engenheiro britânico, de 62 anos, já havia sido anunciado pela Sky Television, citando fontes do governo da Grã-Bretanha. Mas nem a Chancelaria do país nem o gabinete do primeiro-ministro Tony Blair puderam confirmar a informação.

– Estamos cientes das notícias, mas não temos comentários a fazer nesse momento – disse um porta-voz de Downing Street à Reuters.

O engenheiro foi sequestrado em Bagdá, no dia 16 de setembro, pelo grupo Tawhid e Jihad, que decapitou dois norte-americanos capturados junto com Bigley.

O governo provisório do Iraque, apoiado pelos Estados Unidos, considera Falluja uma importante base de militantes islâmicos estrangeiros, liderados pelo jordaniano Abu Musab al-Zarqawi, cujo grupo Tawheed e Jihad estava mantendo Bigley refém.

Um bombardeio aéreo na cidade de Falluja no início desta sexta-feira matou 11 pessoas e deixou 17 feridos, segundo médicos de um hospital local. O Exército dos EUA informou que o alvo era um esconderijo onde pessoas ligadas a Zarqawi estavam reunidas naquele momento.
Segundo moradores de Latifiya, forças iraquianas e dos EUA estavam fazendo buscas na cidade e prenderam diversos suspeitos.