Fonte tucana diz a agência inglesa o que Serra faria se fosse eleito

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 26 de abril de 2010 as 19:34, por: cdb

O primeiro ato do pré-candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, se eleito fosse, seria um profundo ajuste fiscal, para dar mais poder de investimento ao Estado brasileiro. Segundo conversa de “dois importantes interlocutores da campanha do pré-candidato do PSDB” com repórteres da agência inglesa de notícias Reuters, “o arranjo envolveria a renegociação de contratos e o corte de despesas da máquina pública, mas preservaria os gastos sociais”.

A fonte, que pediu anonimato, não especificou que empreendimentos ou programas poderiam ser revistos, mas recorreu ao histórico do tucano na busca de melhor eficiência de gestão.

– Ele vai entrar com medidas fiscais e até renegociação de alguns contratos. As despesas da máquina pública estão sob um controle muito frouxo… Fará isso preservando todos os gastos sociais como o Bolsa-Família – disse a fonte.

Se sair vitorioso nas urnas, em outubro, ainda segundo afirmou a fonte à agência, o “tripé meta de inflação/câmbio flutuante/superávit primário seria resguardado”, mas não explicitou de que forma haveria “nuances diferentes do atual governo”. O perfil da política econômica atualmente em discussão na campanha tucana indica uma vigilância ativa sobre a cotação do real perante o dólar.

– Não acredito que Serra vai querer pegar a taxa de câmbio e levar a R$ 2. Em um primeiro momento, vai tentar jogar com as expectativas ao indicar que gostaria de uma cotação em determinado nível e deixar o jogo caminhar – afirmou o interlocutor.