Fome Zero:Gushiken pede organização por parte das empresas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 21 de fevereiro de 2003 as 19:54, por: cdb

O secretário de Comunicação de Governo e Gestão Estratégica, ministro Luiz Gushiken, pediu hoje às empresas privadas que se organizem melhor no processo de doação e de arrecadação de alimentos para o Programa Fome Zero. “Isso é uma coisa que exige uma logística muito bem preparada, e o setor privado deve contribuir para esse processo de organização”, afirmou Gushiken.

O ministro disse que o Fome Zero depende da articulação de vários programas, desde a reforma agrária, passando pela agricultura, até a geração de emprego. Segundo ele, o governo está fazendo o seu papel. “O governo, e cada um no seu ministério, está fazendo o seu trabalho”, afirmou Gushiken.

De acordo com o ministro, a forma para transferir as doações de alimentos do Programa Fome Zero aos beneficiários já está definida, “em grandes linhas”, pelo governo. Ele disse que há três tipos de doares: os grandes, com estrutura própria de distribuição, os grandes, sem meios para isso, e os pequenos doadores.

Luiz Gushiken disse que as prefeituras devem se organizar e, por intermédio dos conselhos municipais, fazer a distribuição dos alimentos doados às famílias carentes. “É preciso ordenar a recepção, a estocagem e a distribuição para cada família necessitada.

Ele informou que o Exército e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), do Ministério da Agricultura, estão trabalhando em conjunto com o setor privado no projeto de distribuição de alimentos.

O ministro participou hoje, no Rio, da cerimônia posse da nova presidente da TV Educativa e das Rádios MEC, Elizabeth Carmona, que assumiu o cargo no lugar de Fernando Barbosa Lima. Luiz Gushiken disse que reconhece a importância da TVE como instrumento para formar as crianças e os jovens. “A TVE tem papel estratégico na formação cultural e moral das nossas crianças”, afirmou o ministro.