Fome Zero luta para diminuir impactos da seca

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 2 de março de 2003 as 09:02, por: cdb

O Ministério de Segurança Alimentar e Combate à Fome, por meio de sua assessoria, disse que o programa Fome Zero está “elaborando medidas que diminuam os impactos negativos da seca”.

A assessoria do ministro José Graziano afirmou que “estão sendo acertadas” ações de crédito rural, assistência técnica, capacitação, pesquisa e “seguro-safra” que beneficiem os pequenos produtores. O seguro-safra, diz o ministério, seria um benefício de R$ 475 a agricultores familiares do Nordeste que plantaram sua safra nos meses de janeiro, fevereiro e março deste ano.

“Os recursos somente serão entregues caso a seca comprometa 50% da produção de milho, mandioca, feijão, arroz e algodão e se os municípios decretarem estado de calamidade pública. Poderão ser beneficiadas até 550 mil famílias”, informou o ministério.

O secretário de Desenvolvimento Rural do Piauí, Sérgio Vilela, disse que o governo estadual vai desenvolver programas de irrigação e de incentivo à agricultura familiar que permitam criar oferta local para os cerca de cem municípios do Estado que, segundo ele, devem ser incorporados ao Fome Zero até o ano que vem.

“Como o ano agrícola depende do período chuvoso, temos que pensar numa estrutura que no próximo ano tenha capacidade de atender quem sabe os cem municípios”, disse.