Flamengo vence por 2 a 0 mas é eliminado da Libertadores

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 10 de maio de 2007 as 00:01, por: cdb

Faltou apenas um gol para o Flamengo chegar à (nos pênaltis) vaga das quartas-de-final da Libertadores. Com dois gols de Renato – o melhor jogador em campo – , o campeão carioca venceu o Defensor do Uruguai, nesta quarta-feira à noite, mas foi desclassificado por perder a primeira partida por diferença de três gols.  Pela Copa do Brasil o Fluminense chegou às semifinais da competição ao vencer por 1 a 0 o Atlético do Paraná. O Botafogo enfrenta nesta quinta-feira o Atlético Mineiro no Maracanã. Para se classificar o vice-campeão carioca precisa apenas de uma vitória simples.

Com três minutos, jogadores dos dois times já batiam boca por conta de uma entrada de Sorondo em Léo Moura. O uruguaio levou cartão amarelo, mas o clima seguiu tenso. Aos 12, a primeira boa chance do Flamengo saiu de lançamento de Juan para Renato Augusto. Mas o goleiro Silva defendeu o chute do meia rubro-negro.

O Flamengo dominou a partida durante todo o primeiro tempo, com quase 70% de posse de bola. As jogadas pelas laterais morriam em cruzamentos tortos de Léo Moura e Juan. No meio, faltava alguém para criar e furar o bem montado bloqueio armado pelo Defensor.

Só aos 32 o Flamengo voltou a dar trabalho. Souza recebeu na área no meio de quatro uruguaios. Lutou, esperneou, mas não conseguiu finalizar. Aos 34, Renato Augusto sofreu pênalti de Martinez, mas Hector Baldassi não marcou.
 
Com quase 36 minutos, falta de muito longe, Renato manda uma bomba. A bola bate na barreira e entra, fazendo renascer a esperança dos 57.767 flamenguistas que aguentaram o frio e a chuva no Maracanã.
 
O drama ainda teria 45 minutos e a torcida ganhou mais motivos para acreditar em um final feliz logo aos dois minutos do segundo tempo. De novo Renato. De novo, um petardo de longa distância, no ângulo de Silva.

A chuva apertou, o jogo ficava cada vez mais dramático, mas o Flamengo não conseguia furar o bloqueio do Defensor, que abusava da catimba, parando o jogo sempre que podia. Aos 24 minutos, Ney Franco arriscou: botou o garoto Paulo Sérgio no lugar de Claiton e apostou em um trio de atacantes para fazer o gol que levaria a decisão para os pênaltis. E aos 32, acabou  de vez com a marcação no meio de campo ao tirar Paulinho e botar Léo Lima para ajudar na armação. Planejou 15 minutos de sufoco para garantir o Flamengo.
 
E que abriram espaço para o Defensor encaixar contra-ataques. Aos 36, saiu sozinho na cara de Bruno, que conseguiu espalmar para o escanteio. Aos 39, Martinez arriscou de falta e o goleiro salvou novamente. Dois minutos depois, mais um milagre do goleiro, que segurou chute de Morales.

A boa atuação do time rubro-negro valeu a toda equipe aplausos de um Marcanã lotado.