Flamengo sepulta o Botafogo em dia de finados

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 2 de novembro de 2002 as 23:31, por: cdb

No Dia de Finados, o Flamengo começou a cavar a sepultura do Botafogo na Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro. Com a vitória de 2 x 0, neste sábado, no Maracanã, o Rubro-negro escapou temporariamente da zona de rebaixamento e, na 17ª posição com 25 pontos em 22 jogos, ressuscitou na competição.

Já o Glorioso do técnico Ivo Wortmann, que perdeu a sua quarta partida seguida, continua na lanterna com 21 pontos em 21 jogos e dificilmente escapa do limbo.

O Glorioso iniciou o jogo dando a impressão de que chegaria ao primeiro gol facilmente. Em apenas dois minutos, Rodrigão acertou dois chutes rasteiros de fora da área. O goleiro Diego defendeu com segurança. A resposta do Flamengo veio aos 6min: Anderson puxou o contra-ataque e lançou Zé Carlos, que chutou de dentro da área para boa defesa de Carlos Germano. Na seqüência, Sandro Hiroshi cruzou e Iranildo furou.

O primeiro ataque do Flamengo conteve o ímpeto do Botafogo. Aos 13min, o zagueiro Allan recuou para Germano, que, pressionado por Zé Carlos, chutou para o lado nos pés de Anderson. O lateral foi à linha de fundo e cruzou para a área, mas a zaga alvinegra consertou o erro do goleiro.

A partir daí, o Flamengo passou a rondar mais a área do adversário. Aos 21 min, Zé Carlos foi premiado pela boa atuação. Felipe Mello dividiu com Léo Inácio e a bola sobrou limpa para o ex-alvinegro na entrada da área. O chute, de esquerda, saiu forte e no canto direito de Germano: 1 x 0.

O Rubro-negro se aproveitava do nervosismo do lanterna e levava perigo nos contra-ataques. Aos 34 min, Zé Carlos deixou Sandro Hiroshi na cara do gol, mas o chute saiu por cima do gol de Germano.

No final, o Botafogo acordou e criou duas boas chances para empatar a partida. Na primeira delas, Léo Inácio cobrou falta e Diego voou para espalmar. No rebote, Rodrigão cruzou e a zaga rubro-negra afastou. Dois minutos depois, o “gol mais feito” do jogo: Bruno cruzou para a área, Galeano ajeitou de cabeça para Rodrigão, na pequena área, de frente para o gol, acertar a trave.

No segundo tempo, mesmo necessitando desesperadamente da vitória, Ivo Wortmann voltou ao esquema com três zagueiros. O único apoiador, Reinaldo, cedeu lugar ao zagueiro Gilmar no intervalo. Depois, com 10 minutos, Rodrigão, errando muito, saiu para a entrada de Daniel.

O segundo tempo foi de dar sono. Muitos erros de passe no meio-campo e poucos chutes certeiros a gol. A melhor chance foi do Botafogo: aos 12min, Galeano foi derrubado na meia-lua da grande área. Léo Inácio cobrou mal, por cima do gol de Diego.

Aos 22 min, o Rubro-negro conseguiu criar o primeiro contra-ataque perigoso e chegou ao segundo gol. Sandro Hiroshi fez boa jogada individual e tocou para Anderson Gils cruzar na cabeça de Iranildo. O Chuchu – outro ex-alvinegro -cabeceou com estilo e comemorou passando a mão pelo corpo, num sinal de descarrego, já que não vinha fazendo uma boa competição.

Não era dia do Botafogo. Aos 27 min, Carlos Alberto cobrou falta e acertou a trave direita de Diego. Dois minutos depois, o Flamengo quase chegou ao terceiro gol: Hiroshi entrou driblando na área e chutou à esquerda de Germano. Alessandro estava livre, de frente para o gol, e reclamou com o companheiro.

FLAMENGO 2 X 0 BOTAFOGO

Flamengo
Diego, Alessandro, André Dias, André Bahia e Anderson (Anderson Gils); Jorginho, André Gomes, Felipe Mello e Iranildo (Marquinhos); Zé Carlos (Evandro) e Sandro Hiroshi
Técnico: Evaristo de Macedo

Botafogo
Carlos Germano, Bruno, Odvan, Allan e Léo Inácio; Galeano (Geraldo), Carlos Alberto, Márcio Gomes e Reinaldo (Gilmar); Lúcio e Rodrigão (Daniel)
Técnico: Ivo Wortmann

Data: 2/11/2002 (sábado)
Local: estádio Maracanã
Público: 21.971
Renda: R$ 148.392,00
Juiz: Vágner Tardelli (RJ)
Cartões amarelos: Bruno, Carlos Alberto, Márcio Gomes, Odvan, Léo Inácio (Botafogo), Sandro Hiroshi, André Gomes, André Dias, Iranildo (Flamengo)
Gols: Zé Carlos, aos 21 min, do primeiro tempo, e Iranildo, aos 22 m