Flamengo faz testes em amistoso

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 13 de novembro de 2003 as 04:18, por: cdb

O técnico Waldemar de Oliveira assegura que está encarando o confronto de sábado com o Racing como um jogo normal, em que a vitória vale acima de tudo. Apesar disso, ele admite que fará experiências no decorrer do amistoso e deverá colocar em campo jogadores que não estão tendo muitas oportunidades durante o Campeonato Brasileiro.

– Preciso ver o Ibson, o Yan, o Gaúcho, o Luciano Baiano, o André Bahia. Tenho que saber, porém, antes quantas substituições poderei fazer – disse Waldemar.

Para alguns, será uma espécie de último suspiro na Gávea. Luciano Baiano e Yan, por exemplo, têm contrato até o fim do ano somente e podem estar tendo a chance derradeira de mostrar serviço.

– Todo jogador precisa sempre ser avaliado. Preciso dar ritmo a quem não está jogando porque posso utilizá-los no resto do Brasileiro – disse Waldemar.

Luciano parece ter entendido o recado. Ele sabe que ainda está devendo, mas sonha com a permanência no clube.
 
– Espero poder dar a volta por cima jogando pelo Flamengo – falou.

Para começar a partida, porém, Waldemar espera contar com um time próximo daquele que irá enfrentar o Criciúma pelo Brasileiro no outro final de semana, no Maracanã.

– Vamos começar com o que tivermos de melhor. O Igor, por exemplo, está suspenso e devemos observar o Andrezinho – explicou o técnico.

O lateral-esquerdo Cássio disse nesta quarta-feira que não vai tirar férias no fim deste ano para poder voltar 100% ao time do Flamengo em janeiro. Ele não atua desde julho, quando rompeu o ligamento cruzado do joelho esquerdo e teve que operar. O jogador já voltou a correr na Gávea.
– Estou louco de vontade de jogar, mas nessas horas devemos ter tranqüilidade. Outro dia vi o Souza, do São Paulo, chorando depois de voltar a jogar. Espero viver esse momento em breve- disse.

Cássio disse ainda estar muito satisfeito com a velocidade de sua recuperação:
 
– Converso com os médicos e a previsão era de voltar em seis meses. Já estou correndo três meses e meio depois da operação.

André Bahia decidiu que não quer mais se meter em polêmica. Ele disse não saber se terá mais chances até o fim do ano, mas não parece estar tão preocupado.

– Se vier uma proposta, vamos analisar e ver o que é melhor – disse.