Fla-Flu fica no empate

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 8 de março de 2003 as 18:22, por: cdb

A primeira partida entre Flamengo e Fluminense no duelo pela fase semifinal do Campeonato Carioca terminou com empate de 1 x 1 na tarde deste sábado, no Maracanã. Marcelo abriu o placar para o time tricolor e Zé Carlos empatou. No próximo final de semana, o Rubro-negro joga por um empate para ir à final da competição.

O jogo começou bastante truncado, com muitas faltas para os dois lados. Aos 6 min, o primeiro grande lance de gol. Djair errou passe no meio-campo e Athirson puxou o contra-ataque. O lateral lançou Zé Carlos que foi derrubado, a um passo da grande área, por seu xará tricolor. Firme, o árbitro Edílson Soares da Silva não se deixou influenciar pelas reclamações dos jogadores do Flamengo, que pediam pênalti. Na cobrança de falta, Fábio Baiano isolou a bola.

O Tricolor tinha mais a posse de bola, mas pecava nos erros de passe. Aos 14 min, o Rubro-negro teve mais uma chance de abrir o placar num contra-ataque. Alessandro avançou e tocou para Fábio Baiano, que, com um toque de primeira, deixou Fernando Baiano cara a cara com Kléber. O chute, no entanto, saiu com excesso de preciosismo e à esquerda do gol.

Dois minutos depois, o Fluminense teve um gol corretamente anulado. Jadílson cruzou da esquerda e Ademílson, em impedimento, completou para o fundo da rede. Aos poucos, o Flamengo foi cedendo terreno para o time tricolor, principalmente para Alex Oliveira e Ademílson. Aos 26 min, Djair cobrou falta e Júlio César voou para espalmar.

Aos 31 min, Edílson Soares da Silva cometeu um grave erro. Alex Oliveira passou por Fernando, entrou na grande área e foi derrubado por trás por Valdson. Pênalti claro, ignorado pelo árbitro.

Seis minutos depois, saiu o merecido gol tricolor. Alex Oliveira driblou Felipe e Athirson, entrou na área e cruzou rasteiro para o estreante Marcelo empurrar para o fundo da rede. O detalhe é que a jogada foi construída pelo lado esquerdo, considerado o setor mais forte do time rubro-negro.

No segundo tempo, o forte vento e as nuvens carregadas sobre o Maracanã eram indício de chuva. Nada que abalasse a quente temperatura no campo. Com menos de um minuto, Fernando Baiano chutou forte, de fora da área, para defesa firme de Kléber. Não deu nem tempo para respirar e Zada já estava do outro lado do campo exigindo reflexo e elasticidade de Júlio César num chute colocado. Na cobrança de escanteio, Fernando Baiano cabeceou no travessão e quase marcou gol contra.

Em desvantagem no placar, o Flamengo partiu com tudo em busca do empate. Aos 16 min, Athirson chutou forte e a bola sobrou limpa para Lopes na área. O jogador demorou a concluir e a zaga do Fluminense abafou. Minutos depois, Felipe cobrou córner e Zé Carlos cabeceou com perigo, sobre o gol de Kléber.

Aos 23 min, quando o Flamengo crescia em campo e os rubro-negros se empolgavam na arquibancada, houve queda de energia no estádio. Um refresco para o Fluminense, que encontrava dificuldades para conter o ímpeto do rival.

Com a iluminação restabelecida, após oito minutos, foi o Tricolor que quase marcou. Djair cobrou falta da direita e a bola desviou na barreira, mas Júlio César voou no ângulo direito e evitou o segundo gol. Aos 36 min, o merecido empate do Flamengo: a zaga do Fluminense bobeou e Athirson, que passou a sofrer marcação especial de Augusto, tocou para Zé Carlos chutar no canto direito de Kléber.

Nos minutos finais, já sob forte chuva, o Rubro-negro estava mais inteiro em campo e pressionou em busca da virada. Fernando Baiano, em cobrança de falta, e Athirson ameaçaram o gol de Kléber. O Fluminense, embora precisasse da vitória para inverter a vantagem do empate no segundo jogo, parecia satisfeito com o empate.

FLUMINENSE 1 x 1 FLAMENGO

Fluminense
Kléber, Zada (Augusto), César, Zé Carlos e Jadílson; Marcão, Marciel, Djair e Alex Oliveira; Ademílson e Marcelo (Fernando Diniz)
Técnico: Renato Gaúcho

Flamengo
Júlio César, Alessandro (Felipe Melo), Valdson (André Dias), Fernando e Athirson; Jorginho