Fla empata com o Guarani no Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 18 de maio de 2003 as 20:07, por: cdb

O Flamengo não foi o mesmo que bateu o Vitória pela Copa do Brasil e amargou empate em 1 x 1 com o Guarani, neste domingo, no Maracanã. O time carioca saiu na frente, com um gol de Fernando Baiano, mas permitiu que Creedence igualasse o placar nos minutos finais. Com o resultado, o Bugre sobe para a 11ª posição, com 12 pontos, enquanto o Rubro-negro permanece na sexta colocação, com 14.

Mesmo jogando fora de casa, o Guarani começou melhor e ofereceu mais perigo ao gol do Flamengo, sempre explorando os contra-ataques. Depois de o rubro-negro Felipe arriscar de fora da área e errar o alvo, foi a vez de Esquerdinha responder na mesma moeda, com a bola passando perto.

Aos 16 min, Júlio César salvou o Flamengo num forte chute de Alex. Três minutos depois, o goleiro teve mais trabalho num belo chute de Marquinhos. O time da casa estava irreconhecível e, aos 24 min, só não levou o gol graças, novamente, a Júlio César, que defendeu cabeçada à queima-roupa de Esquerdinha.

Não satisfeito com o rendimento da equipe, o técnico Nelsinho Baptista não esperou o intervalo para tirar o volante Paulo Miranda e escalar o zagueiro Valdson como líbero, aos 28 min. No minuto seguinte, o Rubro-negro quase abriu o placar. Athirson cruzou da esquerda, a zaga do Bugre falhou e Fernando Baiano chutou forte, mas a bola desviou em Paulão e foi para escanteio.

Com a substituição, o Flamengo cresceu e o jogo ganhou em emoção. Aos 33 min, Fábio Baiano obrigou o goleiro Jean a fazer difícil defesa num chute rasteiro. Bem postado em campo, o Guarani mostrou que não estava morto e, aos 35 min, Marquinhos arriscou de fora da área e obrigou Júlio César a fazer grande defesa.

Em seguida, o Rubro-negro voltou a atuar com dois zagueiros. Fernando sentiu uma fisgada na coxa direita e Nelsinho foi obrigado a colocar o volante André Gomes. Apesar da nova alteração tática, o time da casa manteve a postura ofensiva e quase abriu o placar em chutes de Jean e Valdson.

O Flamengo começou sufocando o adversário no segundo tempo. Com apenas dois minutos, Fernando Baiano já havia desperdiçado duas ótimas chances. Na primeira, chutou forte da entrada da área e a bola bateu na trave direita de Jean. Depois, Athirson cruzou da esquerda e o atacante cabeceou para fora, rente à trave esquerda.

No minuto seguinte, o outro baiano, o Fábio, entrou em velocidade pelo meio, entrou na área e, na dividida com Paulão, a bola passou perto do gol. Jean estava batido no lance.

Mais organizado e explorando o lado esquerdo, com Felipe e Athirson, o time rubro-negro dava a impressão de estar bem próximo do gol. E ele veio aos 23 min, justamente após uma jogada de Felipe pela esquerda. O meia entrou na área e tocou para Athirson, que errou o chute e a bola acabou sobrando para Fernando Baiano escorar para o fundo do gol.

Aos 31 min, a torcida rubro-negra quase recebeu um balde d’água fria. Lúcio, que entrara no lugar de Marquinhos, cruzou da esquerda e Creedence desviou de cabeça. A bola passou raspando a trave esquerda do gol de Júlio César.

Quatro minutos depois, no entanto, não teve jeito. Rinaldo tocou para Creedence dentro da área e o atacante, apesar de ter errado o chute, enganou Júlio César e empatou o jogo. A partir daí, o jogo ficou aberto e ambos os times poderiam ter saído com a vitória, mas os goleiros Jean e Júlio César não permitiram.

FLAMENGO 1 x 1 GUARANI

Flamengo
Júlio César, Luciano, Fernando (André Gomes) André Bahia e Athirson; Fabinho, Paulo Miranda (Valdson), Fábio Baiano e Felipe; Jean (Zé Carlos) e Fernando Baiano
Técnico: Nelsinho Baptista

Guarani
Jean, Paulão, Bruno Quadros e Juninho (Rinaldo); Simão, Emerson, Esquerdinha, Marquinhos (Lúcio) e Alex; Wagner (Creedence) e Rodrigão
Técnico: Pepe

Data: 18/5/2003 (domingo)
Local: estádio Maracanã
Público: 25.773 presentes
Renda: R$ 182.259,00
Juiz: Wilson de Souza Mendonça (Fifa-PE)
Cartões amarelos: Valdson, Zé Carlos (Flamengo); Paulão (Guarani)
Gols: Fernando Baiano, ao