Físico contesta pioneirismo aéreo dos irmãos Wright

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 24 de outubro de 2003 as 17:00, por: cdb

O ano de 2003 é considerado por alguns o centenário do primeiro vôo da história, que teria sido realizado pelos irmãos Wright, no dia 17 de dezembro de 1903. Mas, segundo o estudioso Henrique Lins de Barros, do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), em palestra nesta quinta-feira na Agência Espacial Brasileira, a análise historiográfica de Santos Dumont mostra o contrário.

Santos Dumont foi o primeiro a cumprir as normas da Federação Internacional de Aeronáutica para a realização de um vôo. Os critérios, válidos ainda hoje, são anunciá-lo previamente, efetuar a decolagem da máquina com meios próprios, pousá-la, além de fazer a demonstração em público e diante de uma comissão previamente escolhida. No dia 12 de novembro de 1906, o 14bis percorreu 220 m, a seis metros de altura, com uma velocidade média de 41 km/h, em Paris.

“Os vôos dos Wright não satisfaziam os critérios adotados internacionalmente. Em primeiro lugar, foram realizados sem a presença de testemunhas idôneas. Em segundo, (os aviões) não decolavam. Em terceiro, não eram avisados com antecedência”, enumera o físico.

Para Lins de Barros, o fato dos aviões dos Wright necessitarem de vento ou de meios externos para alçarem vôo explica a razão deles não terem se apresentado perante uma comissão. “Bastaria este argumento para tirar a primazia deles”, afirma.

Durante a palestra, Lins de Barros exibiu vídeos inéditos de Santos Dumont no Brasil, que hoje estão em poder da produtora francesa Gaumont. As filmagens mostram ensaios com o 14bis, a chegada do cientista ao Rio de Janeiro em 1913, e talvez o único registro em fita do vôo realizado em novembro. “Em 12 de novembro ele realizou muitos vôos, e aquele, de 220 m, foi o último deles. Às 16h30, na França, no inverno, é escuro. Como não é possível ver muito, aquele filme me dá a impressão de ser do último vôo”, conclui.