Fiscais acusados de corrupção estão presos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 16 de abril de 2003 as 08:49, por: cdb

A Justiça Federal decretou a prisão preventiva dos oito fiscais e auditores acusados de participar de um suposto esquema de corrupção fiscal no Rio e de ter contas bancárias na Suíça. Com pedido de prisão preventiva por tempo indeterminado acatado pelo juiz federal Lafredo Lisbôa, sete dos acusados sairam presos do prédio da Justiça Federal, depois de ouvirem o depoimento da ex-mulher do fiscal Carlos Eduardo Pereira Ramos, Valéria Gonçalves dos Santos.

Sob forte proteção policial, Valéria confirmou na presença de integrantes do MP e dos advogados dos acusados, nesta terça-feira, que Pereira Ramos e Rômulo Gonçalves receberam, cada um, U$1,5 milhões por um “acerto” com o Laboratório GlaxoSmithKline que, em 1997, tinha mais de cem multas.

Ainda segundo Valéria, Pereira Ramos tinha conta na Suiça, escondia dólares em gavetas e armários, e os enviava ao exterior através do empresário Alexandre Martins.

“Quando eu perguntava sobre a origem do dinheiro ele ria e dizia que eu não me metesse”, afirmou.

Valéria Gonçalves tem recibos de viagens à Suiça e disse que, quando lá esteve com seu ex-marido, Rômulo e Andreia – sua mulher -, todos entraram em um banco para que Pereira Ramos e Rômulo efetuassem transações. A PF vai marcar a data para ouvir Andréia.

À exceção de Ramos da Silva, todos os investigados assistiam ao depoimento e ouviram a decisão. Eles saíram conduzidos pela Polícia Federal, sem algemas e passaram a noite no 23º Batalhão da Polícia Militar, no Leblon.