Filipinas sequestradas conseguem escapar

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 20 de abril de 2003 as 09:30, por: cdb

Duas das quatro filipinas seqüestradas pela guerrilha islâmica Abu Sayyaf há oito meses no sul do arquipélago conseguiram escapar e foram encontradas neste sábado pelo Exército na ilha de Jolo (Mindanao).

Emily Mantic, de 22 anos, e Cleofe Montulo, de 49, ambas Testemunhas de Jeová, foram seqüestradas pelos rebeldes em agosto do ano passado na localidade de Patikul, cerca de 980 quilômetros ao sul de Manila, junto com quatro de seus companheiros, dois homens e outras duas mulheres.

Os homens – um deles o marido de Mantic – foram decapitados por seus seqüestradores apenas 24 horas após sua captura. As duas reféns conseguiram escapar na sexta-feira à noite, enquanto seus guardiães dormiam, informou o brigadeiro geral Romeo Tolentino.

“As tropas os perseguiam de perto com aviões de combate e os bandidos estavam cansados da fuga. Segundo as vítimas, seus guardiães estavam esgotados e dormiram”, disse o militar. As duas mulheres conseguiram chegar a uma estrada manhã na manhã deste sábado, onde foram encontradas pelas autoridades.

Embora cansadas e desorientadas, as vítimas “passam bem, mas devem ser examinadas pelos médicos”, acrescentou o militar. O chefe do Comando Sul das Forças Armadas, general Roy Kyamko, afirmou que as tropas continuam vasculhando a selva de Jolo para achar as outras duas reféns, Norie Bendijo e Flora Montulo.

Em 11 de abril passado, um marinheiro indonésio seqüestrado pela guerrilha há dez meses junto com outros três companheiros também conseguiu fugir de seus raptores na ilha de Jolo.