Filhos de Diana acusam ex-mordomo de trair sua mãe

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 24 de outubro de 2003 as 20:53, por: cdb

Os príncipes Harry e William da Inglaterra acusaram Paul Burrell, ex-mordomo da princesa de Gales, de cometer uma “traição fria e flagrante” contra a memória de sua mãe. Este comunicado, divulgado pelo príncipe William, de 21 anos, também em nome de seu irmão Harry, não tem precedentes por sua dura linguagem.

Os filhos de Lady Di pediram a Burrell que pare de divulgar detalhes sobre a vida de sua mãe, depois que esta semana o tablóide “Daily Mirror” publicou vários trechos que farão parte do livro “A royal duty” (algo como “Um dever real”), de autoria do ex-empregado e que será lançado em breve no Reino Unido.

Segundo os filhos do Príncipe Charles e da Princesa Diana, sua mãe se sentiria “humilhada” se estivesse viva neste momento. Entre outros documentos incluídos na obra de Burrell figura uma carta escrita aparentemente pela princesa de Gales, na qual comunica seu temor de ser assassinada em um acidente de carro provocado “por uma falha nos freios”.

Diana e seu namorado, Dodi Al Fayed, morreram em um acidente de carro em Paris no dia 31 de agosto de 1997 causado, segundo a investigação francesa, pelo consumo de drogas e álcool por parte do motorista, Henri Paul, que também morreu.

No comunicado divulgado por Clarence House, o príncipe William indicou que “não podemos crer que Paul, em quem foi depositada tanta confiança, tenha se aproveitado de sua posição para cometer uma traição fria e flagrante”. “Não é só profundamente doloroso para nós dois, mas para qualquer que possa se sentir afetado, e humilharia nossa mãe se ela estivesse viva. E, se nos permitem, acreditamos que podemos falar mais em nome de nossa mãe do que Paul”, acrescentou o príncipe.

Clarence House indicou que os príncipes estariam dispostos a se reunir com Paul Burrell para discutir esta questão. Finalmente, os filhos de Lady Di pedem a Paul Burrell “parar com essas revelações”.

Entre outros detalhes, o ex-mordomo divulgou uma carta na qual o avô dos príncipes, o duque de Edimburgo, assegura que tanto ele como a rainha Elizabeth II desaprovavam a relação do príncipe Charles com Camilla Parker Bowles. “Não posso imaginar alguém que esteja em sã consciência que te deixe por Camilla. Uma perspectiva assim nem sequer nos passou pela cabeça”, disse o duque em sua carta, escrita em 1992, o ano da separação oficial dos príncipes de Gales.

Outra correspondência revelada por Burrell recebida por Diana foi escrita por seu irmão, o conde Charles Spencer, que lhe pergunta se está recebendo “tratamento por causa de seus problemas mentais”.

O conde Spencer assegurou que não acredita nas teorias da conspiração, ressuscitadas devido ao livro do ex-mordomo. O Palácio de Buckingham exigiu uma cópia dessa obra para estudar possíveis ações legais, já que contém cartas enviadas por membros da realeza embora não exista lugar para uma demanda porque, aparentemente, só serão publicados trechos das mensagens.

No final do ano passado, Burrell foi processado por suposto furto de objetos reais, mas acabou absolvido após a rainha Elizabeth II interceder em seu favor.