Fifa: Suíça aprova extradição de ex-dirigente nicaraguense aos EUA

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 15 de outubro de 2015 as 12:44, por: cdb

Por Redação, com Reuters – de Zurique:

A Justiça Federal da Suíça informou nesta quinta-feira que aprovou a extradição do ex-dirigente da Fifa Julio Rocha aos Estados Unidos.

Rocha, ex-presidente da Federação Nicaraguense de Futebol, foi preso em maio em Zurique junto com outros seis dirigentes da Fifa. Entre os presos estava o ex-presidente da CBF José Maria Marin.

Ex-dirigente da Fifa Julio Rocha (esquerda) e Joseph Blatter, presidente da Fifa, durante inauguração de estádio em Managua, no Nicarágua
Ex-dirigente da Fifa Julio Rocha (esquerda) e Joseph Blatter, presidente da Fifa, durante inauguração de estádio em Managua, no Nicarágua

A procuradoria de Nova York acusa Rocha de pedir e receber propinas de US$ 150 mil em relação a venda de direitos de marketing para jogos das eliminatórias da Copa do Mundo.

Rocha possui 30 dias para apelar contra a extradição, informou a Justiça suíça, acrescentando que deu prioridade ao pedido norte-americano sobre um pedido similar de Nicarágua.

Banco suíço

O banco suíço Julius Baer informou nesta quinta-feira que reportagens na mídia sobre envolvimento da instituição com a Fifa estão incorretas.

O banco fez a declaração em resposta a um resumo, divulgado na quarta-feira, de uma reportagem desta quinta do jornal Handelszeitung, que serviu como base para uma série de notícias em diferentes veículos de comunicação.

– Esta informação preliminar, que contém declarações erradas, foi parcialmente corrigida pelo Handelszeitung para a edição impressa desta quinta-feira – informou o banco em comunicado.

– No entanto, o jornal não enviou a versão corrigida para a mídia, o que resultou nas reportagens erradas desta quinta em diversos jornais – informou o banco, acrescentando que cai usar “todos os meios disponíveis para defender os interesses contra declarações prejudiciais que não possuem qualquer fundamento”.

Não foi especificado sobre quais partes da reportagem do Handelszeitung o banco se referia. O jornal não possuía comentários de imediato sobre o comunicado do banco.

O Julius Baer é o mesmo banco em que, segundo reportagens da mídia brasileira, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), teria contas não declaradas que estão sendo investigadas no âmbito da operação Lava Jato.

Príncipe Ali

O príncipe Ali Bin Al Hussein, da Jordânia, enviou formalmente sua candidatura à presidência da Fifa nesta quinta-feira, prometendo restaurar a reputação da organização, afetada por uma série de escândalos recentes.

A eleição para substituir o presidente Joseph Blatter está atualmente programada para 26 de fevereiro, mas a Fifa está cogitando adiá-la. O comitê executivo da entidade vai realizar um encontro emergencial no domingo, na sede da Fifa, em Zurique, para debater o tema.

Blatter e o presidente da Uefa, Michel Platini, que também espera concorrer ao comando da Fifa, foram suspensos pelo Comitê de Ética da Fifa na semana passada. A federação internacional de futebol está envolvida em casos de corrupção e enfrenta investigações criminais na Suíça e Estados Unidos.

– Este momento de crise na Fifa é uma oportunidade para mudanças positivas – disse o príncipe Ali em comunicado. “Muitas ideias boas surgiram na atual discussão sobre o futuro da Fifa”.

– Estou confiante que a Fifa pode superar este período de dificuldade com sua reputação restaurada e se tornar uma organização mais uma vez vista com respeito – acrescentou.

Um pagamento em 2011 de dois milhões de francos suíços (US$ 2,1 milhões) da Fifa para Platini é parte de uma investigação criminal suíça sobre Blatter, de acordo com autoridades judiciárias suíças.

O ex-jogador brasileiro Zico também está entre os interessados em se tornar presidente da Fifa.