Fiesp cobra mini-reforma tributária até abril

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 14 de dezembro de 2001 as 11:12, por: cdb

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) está pedindo uma mini-reforma tributária até o fim de abril do próximo ano. A reivindicação foi feita pelo presidente da entidade, Horácio Lafer Piva, em entrevista à Rádio Eldorado AM, São Paulo. Ele afirmou que, por enquanto, a Fiesp abriria mão de uma grande mudança na cobrança de impostos, mas em troca – com os olhos voltados para o mercado externo – Piva vai pedir ao governo federal que realize uma mini-reforma, com o fim do chamado “efeito cascata” da carga tributária, como PIS, Cofins e a CPMF.

“Nós estamos muito preocupados com as nossas fragilidades externas. Temos que ter uma ofensiva exportadora muito forte a partir do próximo ano. Nós acreditamos que, se conseguirmos criar um mecanismo de desoneração dos produtos nacionais, poderemos alcançar resultados ainda mais expressivos do que aqueles que estão sendo planejados. Isso seria muito bom não só para diminuir essa nossa fragilidade como, também, para reduzir o risco-País, para abrir espaço para a diminuição da taxa de juros e preparar o caminho para a próxima gestão que se inicia em 2003”.

Piva ressaltou que essa mini-reforma precisa ser feita até o fim do primeiro trimestre do ano que vem, antes que seja dada a largada a corrida para a sucessão presidencial. Segundo ele, a partir de 2003, a Fiesp voltará a cobrar que seja realizada a reforma tributária completa. Ele criticou alguns deputados federais contrários às alterações na atual forma de cobrança dos impostos. Para Piva, esse parlamentares acham que os empregos surgem por “milagre”.