FHC volta ao Brasil após dois meses de férias na Europa

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 8 de março de 2003 as 10:29, por: cdb

Depois de dois meses de férias na Europa, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e sua mulher, Ruth, deverão retornar neste domingo a São Paulo. A recepção do casal, que deixou o Brasil logo após a posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, deverá ser discreta.

Antes de deixar Paris, o ex-presidente conversou com amigos e pediu para que o horário de seu desembarque e o nome da companhia aérea fossem mantidos em sigilo. Ele disse ainda que não gostaria de ser recepcionado com uma festa no aeroporto, como pretendiam alguns tucanos -FHC alegou estar retornando das férias, e não do exílio.

Por conta de seu pedido, apenas familiares e amigos mais próximos deverão esperar o casal no aeroporto.

Em São Paulo, Fernando Henrique pretende vistoriar a reforma de seu novo apartamento no bairro de Higienópolis e prometeu marcar reuniões informais com alguns amigos.

Oficialmente, seu único compromisso em São Paulo será na próxima quinta-feira, quando tem agendada uma aula magna com o tema “Multilateralismo e Crise Internacional”, às 20h, no Teatro Franco Zampari. O evento faz parte dos Grandes Cursos Cultura promovido pela Fundação Padre Anchieta, mantenedora da TV Cultura.

Sua permanência no Brasil será curta. Em menos de dez dias deverá viajar novamente, desta vez para os Estados Unidos.

O ex-presidente já confirmou presença na reunião do Clube de Madri, no dia 19 de março, em Nova York. Será a primeira reunião do clube presidida por Fernando Henrique, que exerce formalmente o cargo desde 1º de janeiro. O Clube de Madri é um organismo formado por 33 ex-chefes de Estado e de governo e tem como objetivo contribuir para a consolidação da democracia.

Nos EUA, Fernando Henrique será recepcionado pelo ex-presidente norte-americano Bill Clinton, que é presidente honorário do Clube de Madri.

No dia 24 de março, FHC tem agendada uma palestra na Universidade de Michigan sobre questões internacionais.

Em seguida, voltará ao Brasil para mais uma estada rápida. Em abril, pretende voltar a Londres, onde deverá repetir um pouco da rotina adotada em Paris: livros, encontros políticos e palestras em universidades.