FHC e Bush discutem apoio à Argentina

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 28 de dezembro de 2001 as 21:04, por: cdb

O presidente Fernando Henrique Cardoso e o presidente norte-americano, George W. Bush, conversaram nesta sexta-feira sobre a crise argentina por cerca de 15 minutos. “Os dois presidentes trocaram impressões sobre a evolução do quadro econômico e político da Argentina e concordaram, ambos, quanto à necessidade de prestar apoio solidário aos esforços de recuperação econômica da Argentina”, afirmou o porta-voz do Palácio do Planalto, Alexandre Parola, logo depois do telefonema.

A conversa, classificada como “excelente” por Fernando Henrique, ocorreu por volta das 12h30, quando ele ainda estava no Palácio da Alvorada. “O presidente norte-americano cumprimentou o presidente Fernando Henrique Cardoso pelo importante papel de liderança que ele vem exercendo na região”, disse o porta-voz.

Parola informou que, durante o telefonema, “o presidente Bush revelou ainda sua apreciação pela cooperação que se estabeleceu em Doha (no Catar, durante a reunião do Organização Mundial do Comércio) e que foi decisiva para o lançamento da rodada de negociações comerciais”. Segundo o porta-voz, ao longo da conversa, ficou clara ainda a disposição de ambos os presidentes em trabalhar no sentido de prestar apoio aos esforços de recuperação econômica da Argentina.

As especulações sobre um possível estremecimento entre Washington e Brasília teriam surgido após o discurso do presidente brasileiro na França, contra o protecionismo dos países desenvolvidos. E essa insatisfação teria ficado clara na quarta-feira, quando Bush teria telefonado para três chefes de Estado latino-americanos – os presidentes do México, Vicente Fox do Chile, Ricardo Lagos, e do Uruguai, Jorge Battle,- para comentar a crise argentina, deixando o Brasil de lado.

O porta-voz assegurou que Bush tentou falar com Fernando Henrique na quarta-feira, mesmo dia em que conversou com os três outros presidentes latino-americanos. O contato, no entanto, não teria sido possível porque o presidente ainda estava se deslocando do Pantanal mato-grossense para Brasília.

O telefonema para Fernando Henrique, de acordo com os registros que as assessorias diplomáticas dizem possuir, teriam sido feitos a bordo do avião presidencial Air Force One, portanto, no mesmo momento que os demais presidentes foram procurados. Segundo um assessor de Fernando Henrique Cardoso, os dois presidentes já conversaram pelo menos três vezes sobre a Argentina, nos últimos meses, uma delas pessoalmente em Washington.