Fernandinho Beira-Mar não será transferido para os EUA

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 3 de outubro de 2002 as 23:40, por: cdb

A Secretaria da Segurança Pública do Rio divulgou nota oficial nesta quinta-feira na qual nega que, em reunião entre o secretário Roberto Aguiar com o cônsul americano Mark Boulware, tenha sido discutida uma possível transferência do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, para os Estados Unidos.

Segundo a nota, a conversa tratou de uma cooperação técnica da polícia americana com as forças de segurança do Rio, como ocorreu quando o secretário ocupava o mesmo cargo no Distrito Federal.

A informação de que possibilidades jurídicas para concretizar a transferência temporária do traficante também seriam discutidas havia sido divulgada durante a reunião, pela manhã.

A Secretaria da Segurança classifica a notícia sobre uma eventual transferência de Beira-Mar “como especulação provocada, possivelmente, pelo fato de a Justiça norte-americana já haver manifestado interesse em ouvir Luiz Fernando da Costa em processos em que ele é acusado de envolvimento com narcotraficantes colombianos”.

A secretaria também afirma que jamais tomaria qualquer decisão em relação ao traficante ou a qualquer cidadão que não estivesse prevista na lei.

O Consulado dos Estados Unidos no Rio também afirma em nota que “em momento algum” foram discutidos assuntos relacionados a Beira-Mar na reunião de hoje.

Beira-Mar, integrante do CV (Comando Vermelho), está preso no Batalhão de Choque da Polícia Militar, no centro do Rio, com outros integrantes da facção, desde a rebelião do dia 11 que destruiu o presídio Bangu 1, de segurança máxima. A unidade passa por obras.

Durante o motim, Beira-Mar comandou a morte de quatro rivais.

Ontem, o procurador-geral de Justiça do Estado, José Muiños Piñeiro Filho, disse que, há 15 dias, recebeu uma denúncia sobre um plano para resgatar o traficante.