Felipe Mello pode ir para o Cruzeiro como moeda de troca por Edílson

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 27 de abril de 2003 as 21:39, por: cdb

O Cruzeiro não admite oficialmente que esteja negociando com o Flamengo a contratação do meia Felipe Mello, como compensação pelo retorno de Edílson ao clube carioca. De acordo com o diretor de Futebol, Eduardo Maluf, a Raposa quer prioritariamente receber uma compensação financeira para liberar Capetinha para o rubronegro.

“Tive contato neste domingo com dirigentes do Flamengo, que estavam no mesmo hotel do Cruzeiro em São Paulo, e coloquei para eles que liberamos o Edílson, desde que o Cruzeiro seja ressarcido e pretendemos receber essa compensação em dinheiro”, revelou Eduardo Maluf.

Segundo ele, é preciso primeiro que o Flamengo feche o acordo com o Edílson. “Pelo que eu sei o Flamengo ainda não acertou com o jogador”, comentou Eduardo Maluf. “Não adianta o Flamengo falar que vai ceder jogadores”, acrescentou.

O diretor de Futebol do Cruzeiro admitiu a possibilidade, no entanto, da inclusão de algum jogador, como compensação, mas numa etapa posterior da negociação. “Por enquanto a negociação envolve uma compensação financeira, mas se o Flamengo nos falar que não têm como nos pagar, podemos estudar outra possibilidade”, afirmou.

Eduardo Maluf considera que, nesse segundo momento, o nome de Felipe Mello pode ser uma boa solução. Felipe Mello é uma das revelações do Flamengo, sendo jogador convocado para a Seleção Brasileira Sub-20. Mas o jogador se desentendeu com o técnico Nelsinho Batista e foi colocado em disponibilidade.

Coincidência ou não, a possibilidade da transferência da revelação do rubronegro para o Cruzeiro surgiu no dia seguinte à contusão de Martinez, que sofreu ruptura do ligamento colateral do joelho direito, no empate contra o Guarani, em 1 x 1.

De acordo com o gerente executivo do Flamengo, Radamés Latari, o acordo com Edílson está próximo e deve ser finalizado esta semana. O Capetinha tem vínculo contratual com o Cruzeiro até junho do ano que vem, daí a necessidade de entendimento entre as diretorias dos dois clubes.