Federação de SC realiza pesquisa com trabalhadores rurais

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 1 de maio de 2003 as 16:38, por: cdb

Cerca de dois terços dos trabalhadores rurais estão vinculados à agricultura familiar, que em geral ocupa toda a mão-de-obra disponível na família, incluindo as crianças. Uma pesquisa realizada pelo Ministério do Trabalho e Emprego em 495 propriedades com 1.479 trabalhadores rurais (com 15 anos ou mais), revelou que a proporção dos que realizavam atividades agrícolas acima de oito horas por dia foi de 55%, e acima de 12 horas, de 6%.

O trabalho na área rural e a questão da saúde dos trabalhadores preocupa o presidente da Federação da Agricultura do Estado de Santa Catarina (Faesc), José Zeferino Pedrozo. Ele destacou a importância de investimentos em atividades de suporte psicossocial e de capacitação profissional, como forma de melhorar as condições de saúde mental e reduzir os acidentes de trabalho entre os adolescentes da área rural.

– Os fatos mostram que pobreza e trabalho infantil precoce são faces da mesma moeda. No Brasil, 54% do total de menores de 17 anos convivem em famílias com renda per capita até meio salário mínimo -, avaliou o presidente da Faesc.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística revela que 1,9 milhão de brasileiros entre 10 e 13 anos trabalham. Desse total, 70% têm uma jornada igual ou superior a oito horas por dia, e 46,3% têm menos de quatro anos de escolarização. Entre 15 e 17 anos, 65% dos adolescentes que trabalham não têm registro em carteira profissional.